Política

Prefeito preso tem foro privilegiado

Da Redação ·

O inquérito que apura corrupção passiva por parte do prefeito de Santo Inácio, João Batista dos Santos, preso em flagrante em ação do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), será encaminhado ao Tribunal de Justiça do Paraná. O encaminhamento se dá porque, como chefe do Executivo municipal, Santos tem foro especial.

continua após publicidade

No final da tarde de terça-fera (17), as unidades do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Londrina, Maringá e Curitiba prenderam em flagrante três pessoas acusadas de corrupção ativa e passiva. Duas prisões foram feitas em Astorga e uma em Curitiba.

continua após publicidade

Na capital, foi preso o proprietário da construtora Vale Sul, Mario Juliano Kazuo Tamiya, de Apucarana, e, no interior, o prefeito de Santo Inácio e Ademilson Aparecido Jacob, que prestava serviços para empresa. O prefeito foi preso logo após receber R$ 9.100,00, em dinheiro, de Jacob.

continua após publicidade

A empresa está construindo uma creche em Santo Inácio e recebeu do Município, há poucos dias, R$ 163 mil em pagamento de serviços. Ontem foram pagos R$ 9.100,00 diretamente ao prefeito, supostamente como pagamento de propina.

As prisões em flagrante ocorreram a partir de uma investigação que vinha sendo feita pelos Gaecos de Londrina e Maringá, envolvendo o proprietário da construtora. Estavam sendo apurados crimes como formação de quadrilha e corrupção.

O suposto envolvimento do prefeito em recebimento de propina não era objeto da investigação original. A notícia de que seria feito tal pagamento surgiu recentemente, no decorrer das apurações. Santos está preso na Delegacia de Astorga.