Política

Dilma anuncia R$ 4,5 bi para prevenir câncer de mama

Da Redação ·
A presidente Dilma Rousseff antecipou hoje, no programa de rádio semanal "Café com a Presidenta", o anúncio de investimentos de R$ 4,5 bilhões para prevenção, diagnóstico e tratamento do câncer de mama e do colo de útero. As ações passam por construção de novos centros especializados, criação de serviços para radioterapia e quimioterapia e colocação de equipamentos de mamografia em funcionamento. "Queremos que toda mulher tenha oportunidade de se cuidar, fazendo a prevenção benfeita. Se a doença, mesmo assim, aparecer, queremos que toda mulher possa fazer o melhor tratamento possível, no tempo certo e com qualidade", disse. Dilma afirmou que a previsão é que, dentro do Programa de Prevenção ao Câncer de Mama e ao Câncer de Colo do Útero, sejam criados 20 centros especializados no diagnóstico e no tratamento da fase inicial do tumor no colo de útero no Norte e Nordeste do País. A intenção do governo é garantir exames preventivos para as mulheres entre 25 e 59 anos. Além disso, Dilma afirmou que incentivará os laboratórios a se adequar aos padrões internacionais de qualidade. "Eles vão receber orientação e o dinheiro para isso. Um exame benfeito já é meio caminho andado", disse. A ideia, conforme Dilma, é que os hospitais ofereçam tratamento para todo tipo de câncer. Mas a presidente deixou claro que o câncer de mama, "o mais comum nas brasileiras", terá prioridade. Dilma afirmou que o Ministério da Saúde faz, atualmente, uma vistoria em todos os equipamentos de mamografia do País. De acordo com a presidente, existem quatro mil mamógrafos, metade deles na rede pública. "É uma quantidade mais que suficiente para garantir que as mulheres entre 40 e 69 anos façam os seus exames no prazo certo", disse, apesar de lamentar que "muitos desses equipamentos estão parados, com baixa produção ou até encaixotados". "Queremos todos os mamógrafos funcionando o mais rapidamente possível." Prioridade Além disso, Dilma anunciou que o governo instalará, com prioridade nos Estados mais deficientes, 50 novos centros para confirmação do diagnóstico, com biopsia, quando necessária, criará 32 serviços especializados para radioterapia e quimioterapia e atualizará os equipamentos de 48 serviços em toda rede pública. "Você, que está nos ouvindo, saiba que até 2014 teremos uma rede de saúde mais preparada e mais completa, capaz de dar um atendimento de boa qualidade às mulheres", completou.
continua após publicidade