Política

Dilma se reúne com 15 líderes da base aliada no Planalto

Da Redação ·
 Dilma precisa do apoio dos líderes  aliados para aprovar o reajuste do IR
fonte: Divulgação
Dilma precisa do apoio dos líderes aliados para aprovar o reajuste do IR

A presidente Dilma Rousseff se reúne nesta quarta-feira (2), no Palácio do Planalto, com 15 líderes de partidos da base aliada na Câmara dos Deputados. Parlamentares do PDT, partido do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, não foram convidados para a reunião.
 

continua após publicidade

Um dos objetivos de Dilma com o encontro é agradecer aos deputados pela aprovação da proposta do governo de reajuste do salário mínimo para R$ 545. Nove deputados do PDT votaram contra o governo, apesar de pertencerem à base de apoio.
 

Durante a reunião, Dilma também deve pedir empenho dos parlamentares para aprovar o reajuste de 4,5% da tabela do Imposto de Renda. Na última quinta (24), o ministro de Relações Institucionais, Luiz Sérgio, afirmou que a presidente editaria uma medida provisória “nos próximos dias” corrigindo a tabela de acordo com o centro da meta da inflação.
 

continua após publicidade

O valor do reajuste é menor do que os 6,46% reivindicados pelas centrais sindicais. A MP com o aumento proposto pelo governo está sendo elaborada pelo Ministério da Fazenda e faria a faixa de isenção do IR passar de R$ 1.499 para R$ 1.566.
 

Ainda durante a conversa com a presidente nesta quarta, os deputados devem tratar do corte de R$ 18 bilhões nos recursos destinados a emendas parlamentares no Orçamento da União para 2011. Nesta quarta (1), o presidente do Senado, José Sarney, admitiu que há “desconforto” no Congresso Nacional por causa do bloqueio de recursos.
 

“Acho que insatisfação [entre os parlamentares] não [vai ter], mas um certo desconforto [o corte nas emendas] vai causar. Agora, é necessário. Temos que ter prioridade em manter a estabilidade do país e temos que dar a nossa participação, a nossa cota. O Congresso não pode deixar de contribuir nesse sentido”, afirmou Sarney.