Política

Deputado quer na Justiça vaga de suplência em Minas

Da Redação ·
Réu no processo do mensalão, o ex-deputado federal Romeu Queiroz (PSB) promete recorrer à Justiça eleitoral para garantir uma vaga na Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Ele é o primeiro suplente da legenda e esperava assumir uma vaga com a nomeação do deputado estadual e correligionário Wander Borges para a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Social (Sedese). No entanto, a nova mesa diretora do legislativo mineiro mudou o entendimento adotado em dezembro e janeiro e convocou para a vaga Juninho Araújo (PTB), suplente pelo critério da coligação e empossado na manhã de hoje. Na prática, a decisão do novo presidente da Assembleia, deputado Dinis Pinheiro (PSDB), prejudicou apenas Queiroz, para quem não há "coerência" na mudança de posicionamento. Ele ressalta que em dezembro e janeiro a Casa já havia seguido a interpretação do Supremo Tribunal Federal (STF), que concedeu duas liminares favorecendo suplentes pelo critério partidário. "Agora mudaram", ressaltou Queiroz, referindo-se à decisão de Pinheiro de adotar o critério da coligação para convocar os suplentes. O ex-deputado federal Romeu Queiroz responde por corrupção passiva e lavagem de dinheiro na ação contra os acusados de envolvimento no mensalão. Apesar de ter sido absolvido no processo de cassação de mandato na Câmara dos Deputados, em 2006, ele não conseguiu se reeleger. Agora, havia ganhado a chance de voltar ao cenário político com a decisão do governador Antônio Anastasia (PSDB) de nomear Wander Borges secretário de Estado. No entanto, o presidente da Assembleia alega que decidiu seguir o "caminho do Congresso Nacional", que também convocou suplentes pela ordem da coligação para preencher vagas de parlamentares licenciados. Antes do anúncio da decisão, Juninho Araújo também havia prometido brigar judicialmente pela vaga caso a mesa mantivesse a interpretação adotada antes da eleição da nova mesa diretora da Casa. Ele é o segundo suplente da coligação Justiça Social e Trabalho, que uniu PTB e PSB nas eleições do ano passado. O primeiro suplente, Delvito Alves (PTB), já havia sido empossado na quarta-feira, 2, no lugar do correligionário Bráulio Braz, nomeado secretário de Estado de Esportes e Juventude por Anastasia. Apesar da promessa de Queiroz de recorrer à Justiça para tentar conquistar a vaga na Assembleia, até o fim da tarde de hoje o Tribunal Regional Eleitoral (TER) e o Tribunal de Justiça (TJ) de Minas ainda não haviam recebido a ação.
continua após publicidade