Política

Dilma viaja à Argentina para se encontrar com Cristina Kirchner

Da Redação ·

A presidente Dilma Rousseff desembarca nesta segunda-feira (31) em Buenos Aires para uma curta, mas intensa, agenda de trabalho com a colega argentina, Cristina Kirchner. Será o primeiro encontro de ambas como governantes e a estreia de Dilma em solo estrangeiro desde que tomou posse, no início do mês.

continua após publicidade

Em entrevista que concedeu à imprensa argentina durante a semana, a presidente brasileira adiantou que dará continuidade à orientação de priorizar a relação com a Argentina e demais nações vizinhas, marca da gestão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

- Pretendo ter com a presidente Cristina Kirchner uma relação muito próxima. Primeiro, porque Brasil e Argentina têm a responsabilidade, ante a América Latina, de fazer com que a região tenha presença e ação no cenário internacional.

continua após publicidade

A Argentina é o principal sócio comercial do Brasil na América do Sul e o terceiro no mundo, atrás apenas de China e Estados Unidos. No ano passado, o intercâmbio comercial entre os dois países (soma de tudo o que é comprado e vendido entre eles) chegou a cerca de R$ 55 bilhões, valor considerado recorde. O Brasil é o principal destino dos produtos argentinos e o maior fornecedor de seu mercado.

Dilma deve desembarcar em Buenos Aires às 11h (12h em Brasília). Do aeroporto, vai direto para a Casa Rosada, sede do governo, onde será recebida por Cristina.

Às 11h40, as duas fazem uma reunião particular. Depois, a presidente brasileira tem um encontro com mães e avós de desaparecidos políticos. O evento está cercado de simbolismo, já que Dilma lutou contra a ditadura militar brasileira (164-1985) na juventude, foi presa e torturada pelos repressores.

continua após publicidade

Em seguida, os dois governos promovem uma reunião de trabalho ampliada, com a presença de ministros. Na sequência, haverá a assinatura de atos. Por fim, Dilma e Cristina fazem um pronunciamento à imprensa.

No início da tarde, o Ministério das Relações Exteriores argentino oferecerá um almoço à presidente brasileira, que depois retorna direto a Brasília.