Política

Economist aposta em Serra para a presidência

Da Redação ·
 José Serra durante carreata pelo Paraná
fonte: Divulgação
José Serra durante carreata pelo Paraná

A revista britânica The Economist diz que o candidato José Serra, do PSDB, "seria um presidente melhor que Dilma Rousseff, do PT. Em um editorial publicado em sua última edição, a revista critica Dilma e o PT por quererem ampliar o papel do Estado na economia não só através da indústria petrolífera, mas também emprestando dinheiro público para criar empresas que sejam "líderes nacionais".
 

continua após publicidade

"Em troca, esperam uma maior influência nas decisões dos conselhos de administração", assinala a publicação, segundo a qual "é difícil colocar fim no inflexível crescimento dos empregos públicos, inchado pela nomeação de pessoas do PT, e na carga fiscal que requer financiar tudo isso".
 

A revista comenta que "Serra também tem suas falhas, principalmente uma "tendência preocupante à querer gerenciar tudo", mas seu histórico indica que seria mais rápido em cortar gastos públicos e eliminar o déficit fiscal, e que estaria mais disposto a mobilizar capital privado para infraestrutura".
 

continua após publicidade

"A política monetária não teria que suportar toda a carga de manter a inflação sob controle, o que permitiria que as altíssimas taxas de juros diminuíssem, e ajudaria a deter a excessiva apreciação do real", acrescenta.
 

"Há outras duas razões pelas quais os brasileiros deveriam escolher Serra", explica a revista: "a primeira é que Dilma não é Lula, não tem suas habilidades políticas e seu pragmatismo".
 

Segundo The Economist, apesar de Serra ter sido "um oponente pobre" nas campanhas eleitorais, foi um "ministro, prefeito e governador eficiente".
 

"Em segundo lugar - continua a revista - mesmo que nenhum partido tenha o monopólio da corrupção, o PT teria se tornado "confortável demais" no poder. Após oito anos de governo, o Brasil poderia se beneficiar com uma mudança".