Política

Marina: crescimento em pesquisas incomoda adversários

Da Redação ·
 A candidata negou que tenha elevado o tom contra seus adversários no debate de ontem
fonte: Divulgação
A candidata negou que tenha elevado o tom contra seus adversários no debate de ontem

Num tumultuado corpo a corpo na região central de Guarulhos (SP), a candidata do PV à Presidência da República, Marina Silva, disse que seus adversários do PT e do PSDB têm se incomodado com seu crescimento nas recentes pesquisas de intenção de voto e acusou ambos de tentar conter esse movimento. "Eles tentam conter a onda verde, mas não há quem consiga segurar essa onda", disse, referindo-se às críticas feitas a ela durante o debate de ontem da TV Record.

continua após publicidade

De acordo com a candidata, os seus oponentes, José Serra (PSDB)e Dilma Rousseff (PT), tentavam antes ignorá-la, mas agora "não dá". "Toda vez que polarizam comigo estão assinando embaixo: Marina está a beira de ir para o segundo turno", afirmou. Para ela, as críticas foram motivadas pela força de sua candidatura nas ruas. "Eles tentaram me ignorar, mas hoje as forças das ruas fazem com que tenham de me reconhecer e vir para a cena do debate comigo", provocou.

continua após publicidade

A candidata negou que tenha elevado o tom contra seus adversários no debate de ontem. "Eu continuo fazendo a crítica, mas uma crítica construtiva", disse. Ao responder a uma pergunta sobre as atuais investigações na Casa Civil, Marina provocou Dilma, que afirmou durante o debate que também houve investigações da Polícia Federal (PF) no Ministério do Meio Ambiente quando Marina chefiava a pasta. "Não faço acusações levianas", afirmou, explicando que tomou as providências em relação a todas as denúncias feitas e as encaminhou para a PF.

continua após publicidade

'Twitaço'

Com quase duas horas de atraso, Marina chegou ao centro de Guarulhos no final da manhã de hoje festejada pela militância do PV. No carro de som, um jingle em ritmo de samba embalou sua chegada. Ao lado do candidato do PV ao Senado, Ricardo Young, ela disse que o debate é uma oportunidades para discutir as melhores propostas para o País.

continua após publicidade

"Não é um diálogo de surdo-mudo, onde já esteja no script o que vai dizer, o que vai sentir e o que vai transparecer", disse. A candidata afirmou que nos próximos debates vai continuar reagindo às críticas de seus oponentes. "Vou reagir conforme as coisas são colocadas. Não é algo ensaiado", disse.

continua após publicidade

A candidata caminha neste início de tarde para uma lan house, onde fará mais uma edição do seu tradicional "twitaço", quando sua equipe de campanha tenta colocar Marina entre os assuntos mais comentados de rede de microblogs Twitter.

A cidade de Guarulhos foi escolhida a dedo pela equipe da candidata, já que o objetivo do PV é angariar votos nas regiões periféricas das principais metrópoles do País, de olho no eleitorado das classe C e D. Na quarta-feira, a campanha pretende fazer um caminhada semelhante em Diadema, também na Grande São Paulo.