Política

Lula diz que apresenta reforma no FIES após as eleições

Da Redação ·
Presidente Lula e o ministro Orlando Silva durante visita ao Ginásio de Esportes Chico Neto
fonte: Ricardo Stuckert / PR
Presidente Lula e o ministro Orlando Silva durante visita ao Ginásio de Esportes Chico Neto

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira (23) que vai apresentar novas regras para o Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies) após as eleições de outubro. Segundo o Ministério da Educação (MEC), a novidade será o fim da necessidade de o estudante apresentar um fiador para tomar espréstimos no âmbito do programa, que prevê financiamento para cursos universitários.

continua após publicidade

"Logo depois das eleições vamos apresentar o Fies, que vai ser um dos mais importantes do mundo, porque não queremos deixar que nenhum jovem deixe de estudar por falta de dinheiro. Queremos garantir o crédito", disse Lula em visita à Vila Olímpica de Maringá (PR).

continua após publicidade

De acordo com a assessoria do MEC, será criado um "fundo garantidor", formado com recursos de instituições financeiras participantes do Fies. O fundo vai arcar com o risco de inadimplência dos alunos que não tiverem fiador. A adesão das instituições será voluntária, portanto, o fiador será necessário naquelas que não optarem pelo fundo.

continua após publicidade

Um medida provisória que prevê a criação do mecanismo foi editada em 8 de setembro, mas ela só se tornará efetiva depois de uma regulamentação, que deve ocorrer, segundo o MEC, após as eleições.

Hoje, cerca de 800 instituições participam do Fies. Até o fim de 2009, foram fechados 562 mil contratos. Só este ano, foram firmados 47 mil, com a reformulação do programa.

continua após publicidade

Este ano houve mudanças no Fies. As inscrições passaram a ficar permanentemente abertas, o que permite que o aluno solicite o financiamento em qualquer época do ano. Os juros baixaram para 3,4% ao ano e o prazo para quitação do empréstimo foi ampliado para três vezes o tempo de duração do curso, acrescido de doze meses.

continua após publicidade

Esporte

Durante a visita a um ginásio da Vila Olímpica de Maringá, Lula defendeu a participação do Estado na formação de atletas. Ele explicou que as empresas privadas só tem interesse em investir no "atleta depois de pronto", quando já existe um retorno garantido.

continua após publicidade

Segundo Lula, o governo precisa garantir o preparo de jovens para que eles se interessem pelo esporte e se tornem campeões. "Jamais seremos grande potência esportista se não tratarmos como uma responsabilidade do governo o incentivo ao esporte. A iniciativa privada trata do atletra pronto, acabado, que dá retorno. Temos que cuidar do atleta antes dele ser famoso", disse.

Capitalização

O presidente voltou a dizer nesta tarde que a capitalização da Petrobras será a "maior da humanidade". A União cedeu à estatal a exploração de 5 bilhões de barris de Petróleo na área do pré-sal. Com a venda dos barris, que custarão, em média, US$ 8,51, a Petrobras será capitalizada em US$ 42,533 bilhões.