Política

Vereador de Curitiba é preso durante operação do Gaeco

Da Redação ·

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO), unidade Curitiba, do Ministério Público do Paraná, realiza nesta terça-feira (31) a Operação Waterproof, ação de investigação para apurar suposto esquema de fraudes no Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc). Foram efetuados diversos mandados de busca e apreensão. Um deles foi cumprido na casa do vereador Denílson Pires, presidente do sindicato, no bairro Sítio Cercado, em Curitiba, segundo informações da Rádio Banda B.
 

continua após publicidade

O Gaeco deve cumprir 17 mandados de busca e quatro de prisão. Além do vereador Denílson Pires, outras quatro pessoas tiveram a prisão temporária decretada. Segundo o Gaeco, foram detidos Valdecir Bolette, tesoureiro e candidato à presidência do Sindmoc, Nereide de Fátima Butinhoni, que também foi presa por posse ilegal de arma, e Valdenir Dielle Dias, advogado do sindicato, e ex- vereador de Curitiba
 

Os policiais apreenderam R$ 100 mil na sede do sindicato e mais R$ 20 mil que estavam em posse dos presos. Pela manhã, um promotor coordenou a apreensão de documentos e computadores na sede do Sindimoc, no centro de Curitiba, junto com agentes do Gaeco. Os funcionários que já trabalhavam no prédio chegaram a ser levados todos para o salão de cabeleireiros do Sindmoc e impedidos de sair. Por volta das 10h da manhã o presidente Denílson Pires chegou na sede do sindicato, acompanhado de policiais do Gaeco. Mais cedo, a operação aconteceu na casa de Pires.
 

continua após publicidade

O mandado de busca e apreensão foi assinado pelo juiz Pedro Luiz Sanson Corat e prevê o recolhimento de "documentos relativos a fraudes que comprovem a aquisição de bens e valores". As buscas se concentram agora na sala da diretoria, no 5° andar do prédio da Rua Tibagi.