Política

TSE distribuirá 54 milhões de folhetos de "cola" para eleitores

Da Redação ·
Impressos estarão disponíveis nos cartórios de todo o país
fonte: Google Imagens
Impressos estarão disponíveis nos cartórios de todo o país

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) produziu mais de 54 milhões de folhetos para serem usados como cola para os eleitores anotarem os números de seus candidatos.
 

continua após publicidade

O material será distribuído para todos os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) do país. O número é recorde, e, para chegar a esse total, o TSE procurou, durante o ano de 2009, fazer uma projeção do número de eleitores em 2010.
 

O TSE espera cobrir a metade do eleitorado de cada estado. As "colinhas" vão estar disponíveis nos cartórios eleitorais das cidades de todo o país. No site do TSE, é possível encontrar um simulador da cola que pode ser impresso já preenchido.
 

continua após publicidade

O principal objetivo da campanha é evitar as filas, que são um tormento para quem espera e uma preocupação para o TSE. Na eleição de 2002, por exemplo, filas tomavam quarteirões na Zona Leste de São Paulo.
 

No primeiro turno desta eleição, cada eleitor vai escolher seis candidatos. São muitos números, o que aumenta a chance de o eleitor esquecer alguns hora de votar. A campanha que incentiva a cola e mostra o passo a passo do voto também está presente em cartazes afixados dentro de ônibus.


 

continua após publicidade

“Voto é secreto, mas não tem mistério” – essa inscrição da frente da cola traduz o que o TSE quer provar com a campanha. No verso da colinha há espaço para anotar os números: são cinco algarismos para deputado estadual/distrital; quatro algarismos para deputado federal; três para cada um dos dois senadores; dois para governador e dois para presidente. Em outro texto, o folheto diz ao eleitor que o certo é votar com consciência e incentiva todos a fazer uma pesquisa sobre os candidatos.
 

Contra a compra de voto

Uma outra campanha do TSE já está no ar na TV desde 30 de julho. Esta é contra a compra de votos. Pela Constituição do país, quem não quiser, não deve contar a ninguém em quem votou. O voto secreto é um direito garantido a todos. A campanha "Você pode escolher o seu destino" tem a participação do comediante Marcius Melhem e ficará no ar até o dia 3 de outubro - dia do primeiro turno das eleições. A mensagem principal é: “Quem vende seu voto está vendendo junto o futuro do país”.
 

Para as rádios, o TSE produziu jingles em ritmos musicais diferentes. Uma das letras diz: "você pode escolher o destino que quer conhecer/ Você pode escolher o futuro que quer ver acontecer/ O orgulho do país inteiro traz no peito todo cidadão/ É o futuro do país inteiro a decisão que está em suas mãos".
 

Um outro jingle é um lembrete para uma novidade desta eleição: só vota quem levar o título e um documento oficial com foto. “Tá na hora de tirar o título da carteira/ Do bolso, do fundo da gaveta/Pra dirigir você anda com a habilitação/ Pra viajar o passaporte tá sempre à mão/ Na hora do voto, apresente seu título e documento com foto".