Política

Serra se compara a Lula e provoca Dilma em Manaus

Da Redação ·

O presidenciável do PSDB, José Serra, afirmou que há "três verdades" na comparação entre ele, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua adversária na eleição Dilma Rousseff (PT). "Não sei por que estão se incomodando. Só dissemos que eu e Lula somos políticos experientes, é uma verdade; que nossos nomes têm história, outra verdade; e por último, que eu tenho mais vivência do que Dilma, mais uma verdade indiscutível", afirmou Serra, em entrevista dada  ontem depois de almoço com empresários em Manaus.a

continua após publicidade

Serra conseguiu muitos aplausos ao defender a perenização do modelo de isenção de tributos da Zona Franca de Manaus, buscando desmentir boatos que circulam no Estado, onde o PSDB tem historicamente as piores votações em eleições à Presidência da República.

continua após publicidade

"Além desse boato antigo de que sou contra a Zona Franca de Manaus, que só posso repetir que é mentira sempre, hoje vieram dizer que sou contra o Prosamim (Programa de Saneamento Ambiental dos Igarapés de Manaus, do governo estadual). Nem sei direito o nome do projeto e não sou contra. Meus aliados locais dizem que é um bom projeto", disse.

continua após publicidade

O candidato tucano conseguiu reunir hoje cerca de 500 empresários do Amazonas em evento do grupo Lideranças Empresariais (Lide), que reúne empresas com faturamento acima de R$ 100 milhões por ano. Depois, Serra fez uma visita à fábrica da Moto Honda, no Distrito Industrial de Manaus. Ainda para hoje, estava prevista uma caminhada de Serra pelo centro comercial da zona leste da capital amazonense, acompanhado do senador Artur Virgílio (PSDB).

Investimentos

continua após publicidade

Na palestra aos empresários, Serra criticou o aeroporto e o principal porto da região, anunciando que seu projeto de governo inclui obras nesses locais. "A estrutura do aeroporto pode ser considerada indecente, principalmente para uma cidade que vai ser uma das sedes da Copa em 2014", disse. "E o porto principal deveria, a exemplo do que ocorreu em Belém, ser transformado em um complexo cultural, além de outro porto à altura da demanda de Manaus ser construído", defendeu.

O tucano afirmou que "dinheiro não falta" para estes projetos. "O governo federal tem contingenciados mais de R$ 800 milhões de taxas das indústrias de Manaus, que deveriam ser investidos em obras de infraestrutura, como a construção de estradas e recuperação de vias e portos."