Política

Para Beto Preto, Apucarana é hoje centro das discussões regionais

Da Redação ·
Beto foi reeleito com mais de 60 mil votos, uma marca histórica em nível de município. Foto: Tribuna do Norte
Beto foi reeleito com mais de 60 mil votos, uma marca histórica em nível de município. Foto: Tribuna do Norte

Reeleito prefeito de Apucarana com mais de 60 mil votos, uma marca histórica em nível de município e de Paraná, o médico Beto Preto (PSD) concedeu entrevista à Tribuna avaliando o resultado das urnas e comentando o que a população pode esperar do próximo mandato. Segundo ele, os eleitores aprovaram o trabalho até agora realizado e optaram pela sua continuidade. O que tem que se destacar ainda, conforme ele, é que hoje Apucarana saiu do anonimato e participa da discussão dos grandes assuntos de interesse local, da região e do Estado.

continua após publicidade

TRIBUNA DO NORTE – Na eleição do dia 2 de outubro o sr. obteve uma votação histórica em nível de município e do Paraná. A que se deve isso?

BETO PRETO – Nós partimos de 44,71% dos votos válidos na eleição de 2012 e agora para 86,11% em 2016. Foram 31.847 votos naquele pleito para 60.001 neste ano, praticamente o dobro de votos.O que ocorre é que entramos na Prefeitura em 2013 num contexto onde as pessoas estavam acostumadas a receber serviços pela metade. Nós trabalhamos nesses quatro anos para incluir os apucaranenses num grande projeto de cidade. De cidade acolhedora, solidária, com asfalto, com calçadas, uma cidade de verdade.

continua após publicidade

A marca difundida anteriormente era de uma “cidade educação”, mas os prédios das escolas estavam mal cuidados, os professores careciam de um método pedagógico efetivo. Isso tudo mudou e foi construído nesses quatro anos não só pela administração municipal, mas também com a participação de diretores, professores e pais de alunos. Por isso digo que a cidade hoje é de inclusão, onde se ouve a voz de todos.Nesses quatro anos também fizemos um mandato itinerante, caminhando pela cidade, visitando as pessoas, vistoriando canteiros de obras todos os dias. Esse foi outro diferencial.

TN – Essa votação significativa seria oriunda de suas ações na administração municipal ou do contexto político de Apucarana?

BETO PRETO - Essa credibilidade de mais de 60 mil votos, que é uma marca histórica, veio porque ao longo dos quatro anos falei a verdade. Não disse que iria salvar a cidade de Apucarana, não apresentei planos mirabolantes de 3 mil empregos em determinada empresa. Fui honesto com todos, dizendo como encontrei a Prefeitura endividada e planejamos os próximos passos com cuidado, pois conhecia e conheço a realidade financeira da Prefeitura, bem como as necessidades de infraestrutura e investimos naquilo que o município precisa. É assim que estamos fazendo, tratando das coisas públicas da maneira antiga, ou seja, olhando nos olhos e usando muito o fio do bigode. Posso dizer que uma coisa é pegar dinheiro emprestado e investir em pavimentação asfáltica, em praças e programas que atendam às necessidades da população. Outra é fazer dívida por apropriação indevida de encargos trabalhistas recolhidos e não pagos, o que beira a tipificação de crime por parte de ex-prefeitos que nos antecederam nos últimos 12 anos. 

continua após publicidade

TN – Qual é, politicamente falando, a realidade de Apucarana antes e depois do seu mandato?

BETO PRETO – Muito mais que a grande votação que recebemos nas urnas é o nível de discussão que conseguimos atingir. Hoje opinamos sobre assuntos muito importantes relacionados ao município, à região e ao próprio Estado. Outros prefeitos que nos antecederam abandonaram essa lacuna de oportunidade.Não adianta ser prefeito de Apucarana sem atentar para o fluxo de veículos nas rodovias BR-369 e BR-376 que cortam Apucarana e região com destino a Curitiba ou outras cidades do Estado. Temos que opinar sobre esta situação e lutar pela solução de problemas. É isso que fizemos, excepcionalmente, no tocante à duplicação da BR-376 a partir de Apucarana e Califórnia.Temos que influenciar, por exemplo, para que seja mantido o traçado original da ferrovia Norte-Sul que atende aos interesses de Apucarana, do Vale do Ivaí e da região Central do Paraná. Se for necessário, vou à Justiça Federal para que este projeto seja mantido, porque temos percebido que forças econômicas querem alterar o projeto original. 

TN – Que outros assuntos importantes no contexto regional ou estadual Apucarana se faz presente nas discussões?

continua após publicidade

BETO PRETO – Temos trabalhado para manutenção da implantação de outros cursos de Engenharia na Universidade Tecnológica Federal do Paraná em Apucarana, que interessam a estudantes de toda a região e de outros pontos do Estado. Tudo isso que já falamos são assuntos macrorregionais que o prefeito de Apucarana tem que interferir, se interessar, não ficar somente dentro do gabinete. 

TN – O sr. foi eleito para presidir a Associação dos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi). Que planos tem para a associação?

continua após publicidade

BETO PRETO – Nosso propósito é o de unir os municípios em torno de um projeto maior para o Vale do Ivaí. Temos uma região rica, mas com uma população considerada pobre. Essa é uma realidade que queremos levar para discussão dentro da Amuvi e buscar solução. Esse é um passo importante para que possamos gerar novas iniciativas econômicas para a região.Apucarana, por exemplo, é uma cidade que vive duas realidades: uma olhando para o Vale do Ivaí e outra porque está localizada no eixo central entre Londrina e Maringá. Neste aspecto, Apucarana pode influenciar positivamente através da Amuvi para que sejam elaborados projetos que busquem o desenvolvimento econômico local e dos municípios do Vale.  

TN -  O ano de 2016 foi considerado um ano de dificuldades para todos os municípios. E para Apucarana, como foi?

BETO PRETO –  Conjunturalmente falando, o ano de 2016 foi muito importante para a cidade. Foram obras que se consolidaram na pavimentação urbana, educação, saúde, assistência social e moradias que avançamos e ainda temos muitas obras para ser realizadas. O desafio aumentou devido a essa crise econômica que passamos atualmente, mas estamos fazendo ajustes. Mesmo no deserto vamos tentar juntos passar por este deserto. 

TN – O que Apucarana pode esperar do seu próximo mandato?

BETO PRETO – As figuras políticas de alguns ex-prefeitos apoiaram abertamente o candidato da oposição na eleição do dia 2 de outubro em Apucarana, inclusive um deputado federal. E todos eles naufragaram nas suas intenções. Apucarana deu uma grande demonstração de unidade, aprovando nossa maneira de administrar a cidade e votando pela continuidade.Espero que os vereadores eleitos e reeleitos possam nos ajudar a continuar construindo uma cidade de política saudável, feita na comunhão das ideias em torno do desenvolvimento do município e da região.