Política

Ex-deputado André Vargas volta a ser alvo da Lava Jato

Da Redação ·
André Vargas foi condenado a quatro anos e meio de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro. Foto: Reprodução
André Vargas foi condenado a quatro anos e meio de prisão em regime fechado por lavagem de dinheiro. Foto: Reprodução

O juiz federal Sergio Moro, da 13ª Vara Federal Criminal, recebeu denúncia contra o ex-deputado federal André Vargas (ex-PT) e outras três pessoas no âmbito da Operação Lava Jato. A denúncia foi oferecida pela força-tarefa da operação no Ministério Público Federal (MPF).Segundo a força-tarefa, o ex-deputado “teria se utilizado indevidamente de sua influência política” junto a funcionários da Caixa Econômica Federal, no final de 2013. 

continua após publicidade

O objetivo era a contratação da empresa IT7 Sistemas Ltda, pertencente a Marcelo Simões, para prestar serviços de informática e fornecer programas de computador para uso do banco.O MPF afirma que a IT7 Sistemas teria pago propina de quase R$ 2,4 milhões a André Vargas e ao irmão Leon Vargas, com a intermediação de Youssef. O contrato com a Caixa rendeu à empresa de informática o valor de R$ 71,3 milhões. Além disso, segundo a força-tarefa, a propina teria sido recebida “de forma dissimulada” a partir de notas fiscais emitidas por empresas vinculadas à contadora Meire Poza, que trabalhou para o doleiro.Marcelo Simões, Leon Vargas e Meire Poza foram citados na mesma denúncia pelo MPF e também são réus da ação penal. 

Os quatro denunciados vão responder pelo crime de lavagem de dinheiro.No ano passado, o ex-deputado André Vargas foi condenado a 14 anos e quatro meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O motivo foi outro contrato da Caixa Econômica Federal, daquela vez com a empresa Borghi Lowe Propaganda e Marketing.