Política

Moro é nazista e Curitiba uma província agrícola, insinua advogado de Lula

Da Redação ·
Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Foto- Arquivo
Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro. Foto- Arquivo

O juiz Sergio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba, os advogados do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e promotores do Ministério Público Federal protagonizaram uma audiência com ânimos exaltados na tarde de segunda-feira (21). A sessão do dia tratava do interrogatório de testemunhas de acusação na ação penal em que Lula é réu no âmbito da Operação Lava Jato.

continua após publicidade

As discussões ocorreram durante o depoimento do ex-senador Delcídio do Amaral, a primeira testemunha a ser ouvida. Os advogados do petista contestaram por diversas vezes a relevância de perguntas que eram formuladas pelos promotores que, de acordo com osm representantes do Ministério Público (MP), fugiam do foco do processo. A defesa alegou ainda que o depoente estava respondendo com base em suposições e não em fatos objetivos.

“A defesa, pelo jeito, vai ficar levantando questão de ordem a cada dois minutos? É inapropriado”, disse Moro à defesa de Lula. O advogado de Lula, Roberto Batochio, se exaltou. 

continua após publicidade

"Juiz não é dono da verdade"
jurista afirmou que “o juiz não é o dono do processo” e que a lei permite aos defensores fazer o uso da palavra. “Ou se vossa excelência quiser eliminar a defesa… E eu imaginei que isso já tivesse sido sepultado em 1945 pelos aliados e vejo que ressurge aqui, nesta região agrícola do nosso país.”

Em 1945, a Alemanha nazista – um regime totalitário – foi derrotada pelas nações aliadas. Esse acontecimento antológico marcou o término da II Guerra Mundial na Europa.