Política

Moro rejeita pedido da defesa e decide que vai julgar Cláudia Cruz no Paraná

Da Redação ·
Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba - Pedro Ladeira - 5.nov.15/Folhapress
Cláudia Cruz, mulher de Eduardo Cunha, que está preso em Curitiba - Pedro Ladeira - 5.nov.15/Folhapress

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, negou pedido da defesa da mulher do ex-presidente da Câmara e deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Cláudia Cruz, para que ela fosse julgada pela Justiça Federal do Rio de Janeiro. Moro decidiu que o julgamento ficará com a 13ª. Vara Federal do Paraná, a qual ele responde. 

continua após publicidade

"Se houve ou não lavagem, se agiu ela ou não com dolo, é questão de mérito e não de competência. Ante o exposto, julgo improcedente a presente exceção de incompetência", disse o juiz na decisão. A decisão é do dia 7 de novembro e foi protocolada no sistema eletrônico da Justiça do Paraná na noite de terça-feira (8). Junto com o marido, o ex-deputado e ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha, Cláudia Cruz também é ré em processo da Lava Jato. 

Conforme as investigações, ela foi favorecida, por meio de contas na Suíça, de parte de valores de uma propina de cerca de US$ 1,5 milhão recebida pelo marido. O depoimento dela já estava marcado para o dia 16 de novembro, em Curitiba. O ex-diretor da Petrobras Jorge Luiz Zelada e o lobista João Augusto Rezende Henriques também estão no mesmo processo e serão ouvidos a partir desta quarta-feira (9) por Moro, em Curitiba. A audiência começa às 14h. 

continua após publicidade

Plena consciência 
Conforme o Ministério Público Federal (MPF), Cláudia tinha plena consciência dos crimes que praticava e é a única controladora da conta em nome da offshore Köpek, na Suíça, por meio da qual pagou despesas de cartão de crédito no exterior em um montante superior a US$ 1 milhão em um prazo de sete anos, entre 2008 e 2014.

Com informações do G1