Política

Mercadante aposta em apoio de Lula para ir ao 2º turno

Da Redação ·

O candidato do PT ao governo de São Paulo, Aloizio Mercadante, disse, em São Carlos, que está otimista em ir ao segundo turno, apesar da última pesquisa do Datafolha indicar que Geraldo Alckmin (PSDB) vencerá o pleito ainda no primeiro turno. Para reverter a situação, o petista aposta no horário eleitoral gratuito por rádio e TV, a partir desta semana, além do apoio do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Mercadante disse que falou com Lula, por telefone, na quinta-feira, antes do debate na TV Bandeirantes, e que receberá o apoio e visitas nos próximos dias para alavancar sua campanha.

continua após publicidade

"O presidente Lula disse que seria um militante destacado na nossa campanha e a partir da semana que vem estará presente, ajudando muito", disse o petista, que tem 16% das intenções de votos, segundo o Datafolha. Alckmin tem 54%. Mas Mercadante disse que Lula "está animado, motivado, e sabe da importância que tem São Paulo e vai dar uma dedicação especial". O petista disse que o presidente dará uma prioridade ao Estado e que esse apoio poderá ser decisivo para levá-lo ao segundo turno. "A participação dele é absolutamente decisiva, pelo apoio e prestígio que ele (Lula) tem em São Paulo e em todo o Brasil", comentou Mercadante.

continua após publicidade

Sobre o debate da noite de quinta-feira, o petista disse, antes da carreata por duas avenidas de São Carlos, até chegar para caminhada no centro comercial da cidade, que seus argumentos foram consistentes e que teve boa receptividade da população e da militância do PT. Salientou que ainda não existe um clima de eleição estadual, que mudará com o início do horário eleitoral gratuito pela TV. "Temos pouco mais de 49 dias, quando a campanha ganhará as ruas, e com a receptividade do governo Lula confiamos na ida ao segundo turno, e aí são só dois candidatos e acho que o debate dá um salto de qualidade, com todas as condições de vencer", afirmou Mercadante. Na campanha pela TV, o candidato disse que apresentará suas propostas (para a violência, transporte, educação e saúde). "É isso o que ganha eleição e assim que vamos continuar conduzindo a nossa campanha", destacou ele.

Mercadante desconversou sobre a declaração de Alckmin, no debate, de aliança entre petismo e malufismo, lembrando que o tucano citou, depois, que está enfrentando três candidatos que o atacaram. "Todos que saíram candidatos são oposição ao governo, porque se alguém achasse que devia continuar o governo que está aí, não sairia candidato", explicou o petista, que espera, caso chegue ao segundo turno das eleições, em outubro, ter apoio dos demais contra Alckmin, numa "ampla frente" que estaria se desenhando: "Quero todos no meu palanque."