Política

"Vim em solidariedade e para conhecer o Alvorada", diz Chico Buarque

Da Redação ·
Chico disse que foi até o plenário por solidariedade a Dilma. Foto: Reprodução/Instagram
Chico disse que foi até o plenário por solidariedade a Dilma. Foto: Reprodução/Instagram

MARINA DIAS E DANIELA LIMA BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - Convidado para assistir ao discurso de defesa presidente afastada Dilma Rousseff, Chico Buarque disse que está gostando do desempenho da petista e que está impressionado com a serenidade dela.

continua após publicidade

"É difícil responder a mesma coisa mil vezes", afirmou enquanto saía da sessão no Senado para o almoço, acompanhado do ex-ministro Jaques Wagner (Casa Civil).

Chico disse que foi até o plenário por "solidariedade" a Dilma e que aproveitou para conhecer o Palácio da Alvorada, "que nunca mais vou conhecer".

continua após publicidade

O cantor e compositor é admirador de Oscar Niemeyer, idealizador do palácio, e diz ter entrado na faculdade de arquitetura por causa dele.

Ele foi o centro das atenções nesta segunda-feira (29) durante o café da manhã com Dilma, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ex-ministros da gestão petista e integrantes de movimentos sociais.

Mas recusou os comes e bebes: "foi para não tomar leite", justificou.

continua após publicidade

DISCURSO
A presidente afastada, Dilma Rousseff, discursou no Senado Federal nesta segunda-feira, onde se defendeu do processo de impeachment. Aos senadores, ela voltou a afirmar que não cometeu crime de responsabilidade e, portanto, não merece deixar de vez o Palácio do Planalto. 

“Hoje eu só temo a morte da democracia”, afirmou. Além de Chico Buarque, o ex-presidente Lula e ex-ministros a acompanham. Se Dilma for derrotada, Michel Temer assume o posto até 2018.