Política

Deputados Giacobo e Serraglio, do Paraná, estão na disputa pela sucessão de Cunha

Da Redação ·
 Rodrigo Maia e Rogério Rosso irão ao 2º turno pela presidência da Câmara IMAGEM ILUSTRATIVA ARQUIVO - Foto: Antonio Augusto/ Câmara dos Deputados
Rodrigo Maia e Rogério Rosso irão ao 2º turno pela presidência da Câmara IMAGEM ILUSTRATIVA ARQUIVO - Foto: Antonio Augusto/ Câmara dos Deputados

Dois parlamentares do Paraná integram a lista dos deputados cotados para suceder o ex-presidente da Câmara Federal, Eduardo Cunha (PMDB-RJ): Osmar Serraglio (PMDB), presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), e Fernando Giacobo (PR), atual segundo vice-presidente da Casa. Ao jornalista Ivan Santos, do site Bem Paraná, de Curitiba, os dois paranaenses manifestaram intenção de concorrer à eleição, marcada para a próxima terça-feira, 12. 

continua após publicidade

Deputados Giacobo e Serraglio, do Paraná, estão na disputa pela sucessão de Cunha fonte: Reprodução

Serraglio ocupou a 1ª secretaria da Câmara e obteve notoriedade quando foi relator da CPI dos Correios, que investigou o Caso do Mensalão. Depois, no entanto, foi apontado como um dos aliados de Cunha, por ter indicado o deputado Ronaldo Fonseca (Pros-DF) para relatar um recurso do ex-presidente da Câmara na CCJ, contra a decisão do Conselho de Ética que recomendou a cassação do mandato do peemedebista. Serraglio, no entanto, negou qualquer tentativa de beneficiar Cunha.

continua após publicidade

UM DOS FAVORITOS - Já Giacobo vinha presidindo sessões nas últimas semanas, pois o primeiro vice-presidente, Waldir Maranhão (PP-MA), não tinha apoio dos líderes. O líder do governo na Câmara, deputado André Moura (PSC-SE), avaliou que Giacobo é um dos favoritos ao cargo. Além do paranaense, Moura diz que há mais dois candidatos com potencial para suceder a Cunha – Rogério Rosso (PSD-DF), e Rodrigo Maia (DEM-RJ).

GANHOU 12 VEZES NA LOTERIA - Após Giacobo começar a presidir algumas sessões da Câmara, a imprensa nacional noticiou que ele foi premiado 12 vezes na loteria em apenas 14 dias, no ano de 1997, quando ainda não era deputado. Ele argumentou que os prêmios foram conseguidos em razão de apostas feitas em bolões com amigos. O valor total da premiação totalizou R$ 123 mil. O parlamentar não responde a nenhum processo no momento.

DISPUTA ACIRRADA - Os dois deputados paranaenses terão que enfrentar uma disputa acirrada. Apenas da base governista, doze parlamentares manifestaram publicamente interesse em ocupar o cargo até fevereiro de 2017, quando haverá a eleição do segundo biênio da legislatura. Todo o processo eleitoral para a sucessão de Cunha vai ser conduzido pelo deputado Waldir Maranhão.