Política

Contra queda de popularidade, Temer evita visitar Norte e Nordeste

Da Redação ·
Em esforço para elevar sua popularidade, o peemedebista também tem focado em pautas positivas - Foto: Arquivo
Em esforço para elevar sua popularidade, o peemedebista também tem focado em pautas positivas - Foto: Arquivo

Para evitar uma queda na aprovação da gestão peemedebista, o presidente interino, Michel Temer, decidiu evitar viagens ao Nordeste e Norte, considerados redutos eleitorais petistas, e irá priorizar agendas públicas com grupos que se identificam com o governo em exercício.

continua após publicidade

Na tentativa de ganhar legitimidade popular para continuar à frente do Palácio do Planalto, o peemedebista evitará durante o período de interinidade frequentar locais com potencial de protestos.

Nas viagens que tem feito, por exemplo, sondagens prévias são feitas pela equipe presidencial para que ele não enfrente manifestações.

continua após publicidade

Em esforço para elevar sua popularidade, o peemedebista também tem focado em pautas positivas e escolhido solenidades em que a gestão interina seja elogiada.

Na quinta-feira (30), promoveu encontro no Palácio do Planalto com entidades comerciais e, na segunda-feira (4), irá a abertura de evento de agronegócio, setor que tem apoiado o governo interino.

A avaliação de assessores e auxiliares presidenciais é que, apesar de ter sido eleito na mesma chapa de Dilma Rousseff, o peemedebista precisa construir uma base social mais sólida que dê legitimidade a uma eventual administração definitiva.

continua após publicidade

PESQUISA

O resultado da pesquisa CNI/Ibope divulgada nesta sexta-feira (1º), que apontou que apenas 13% consideram a gestão interina ótima ou boa, era esperada pela administração peemedebista.

Nas palavras de um assessor presidencial, o governo interino possui apenas 47 dias e seus reflexos ainda não chegaram à população.

continua após publicidade

O Palácio do Planalto pondera, contudo, que o percentual deve ser um piso para a administração em exercício e que uma queda poderia afetar tanto a legitimidade do peemedebista como a governabilidade junto ao Congresso Nacional.

A pesquisa apontou que 39% dos brasileiros avaliam o governo do presidente interino como ruim ou péssimo.

Ela revelou ainda que 13% avaliam o governo como ótimo ou bom e 36% acham que ele é regular. Entre os ouvidos, 13% não souberam ou não quiseram responder.

Foram ouvidas 2.002 pessoas em 141 municípios. O grau de confiança da pesquisa é de 95%.

A margem de erro é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. O levantamento foi feito de 24 a 27 de junho.