Política

Dilma fará pronunciamento sobre aprovação do impeachment 

Da Redação ·
Será o primeiro posicionamento público da petista após aprovação do andamento do processo - Foto: Folhapress
Será o primeiro posicionamento público da petista após aprovação do andamento do processo - Foto: Folhapress

A presidente Dilma Rousseff vai fazer um pronunciamento à imprensa no fim da tarde desta segunda-feira (18) para comentar a abertura do processo de impeachment contra seu mandato. A fala, que será dada no Palácio do Planalto, está prevista para as 17h. 

continua após publicidade

Será o primeiro posicionamento público da petista após o plenário da Câmara ter aprovado neste domingo (17) o andamento do processo. Dilma está escrevendo o discurso pessoalmente e, depois, irá submetê-lo aos auxiliares mais próximos. 

A presidente assistiu no início da tarde desta segunda à coletiva de imprensa concedida na madrugada pelo advogado-geral da União, José Eduardo Cardozo, para adotar a mesma linha de defesa. Apesar dos conselhos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que quer que a sucessora "parta para o ataque", inclusive contra o vice-presidente Michel Temer (PMDB), Dilma deve seguir o mesmo tom de suas falas dos últimos dias, dizendo que vai "lutar até o fim" pelo seu mandato e denunciar o "golpe" que está em curso no país. 

continua após publicidade

SENADO - Dilma Rousseff avaliou na manhã desta segunda que ainda é possível barrar o impeachment no Senado e considerou que o clima para uma votação na Casa Legislativa é "mais favorável" que na Câmara. Em encontro com deputados federais da base aliada, a petista informou que se reunirá ainda nesta segunda com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). 

O objetivo é tentar convencer o peemedebista a alongar o máximo possível a primeira fase do processo na Casa Legislativa, em esforço para evitar que os senadores sejam contaminados pelo clima favorável ao impeachment na Câmara.
Pela manhã, a petista recebeu a bancada federal do PC do B. Mais tarde, reuniu-se com líderes da base aliada que votaram contrário ao impeachment. 

Segundo relatos, Dilma está "serena" e "confiante". Ela disse que pretende se dedicar ao corpo a corpo também no Senado. 

Com a perspectiva de derrota, o Planalto se antecipou e iniciou ofensiva sobre senadores da base aliada desde a semana passada.