Política

Richa destaca compromisso com a valorização dos servidores

Da Redação ·
Governador Beto Richa se reúne com Secretários de Estado no Gabinete de Gestão de Informação no Palácio Iguaçu.Curitiba, 28/10/2015Foto: Ricardo Almeida / ANPr
Governador Beto Richa se reúne com Secretários de Estado no Gabinete de Gestão de Informação no Palácio Iguaçu.Curitiba, 28/10/2015Foto: Ricardo Almeida / ANPr

O governador do Paraná, Beto Richa, afirmou nesta quarta-feira (28), em reunião com o secretariado, em Curitiba, que o Estado está cumprindo os compromissos com o quadro de funcionários públicos em razão das medidas de ajuste fiscal adotadas para enfrentar a crise que atinge a maioria dos estados brasileiros. “Adotamos medidas duras, mas imprescindíveis e inadiáveis. Graças a isso temos a melhor situação fiscal do País”, afirmou Richa. Ele destacou que houve “um grande e competente planejamento para enfrentar a crise” e isto está permitindo a retomada de obras e programas, além de garantir a valorização dos servidores do Estado. Richa lembrou que neste mês o governo vai aplicar um reajuste de 3,45% no salário do funcionalismo, além de pagar promoções e progressões para as duas maiores categorias de funcionários públicos do Paraná, professores e policiais militares. O governador também assegurou a antecipação do pagamento do 13º salário, para 10 de dezembro, para o quadro de funcionários, “enquanto a maioria dos Estados terá dificuldades de pagar a folha.” Richa afirmou que em janeiro de 2016 a folha do Paraná será reajustada em cerca de 10%, com a aplicação integral do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2015 à remuneração de todo o funcionalismo. 

DIA DO SERVIDOR - O governador aproveitou a reunião com os secretários para fazer uma homenagem aos servidores públicos, em razão da comemoração ao dia da categoria, 28 de outubro. “Nosso reconhecimento aos servidores públicos que, de forma competente, levam os serviços do Estado à população”, disse. Ele ressaltou que a equipe de governo é formada por muitos funcionários públicos. “Não sei se o Paraná já teve tantos servidores de carreira no secretariado. Cada um é especialista na área em que atua e responsável pelos avanços e conquistas do governo.” 

SALDO POSITIVO – Richa disse que este foi um ano difícil, mas mesmo assim é possível contabilizar um saldo positivo e no ano que vem o governo vai intensificar o ritmo de crescimento do Estado. “Nosso ajuste também ajudou os municípios. Os repasses estaduais para as prefeituras cresceram 20% neste ano, o que representa R$ 1 bilhão a mais do que no ano passado”, afirmou, lembrando que as transferências federais aos municípios caíram 38% neste ano. O chefe da Casa Civil, Eduardo Sciarra, reforçou a necessidade de a equipe dar respostas rápidas à sociedade, executando de maneira ágil obras e programas que foram projetados no orçamento do Estado para 2016. “Temos um orçamento com muitos recursos para investimentos, que podem ser aplicados já no início do exercício”, ressaltou Sciarra. 

REFORMA DO ESTADO – O secretário de Planejamento e Coordenação Geral, Silvio Barros, fez uma explanação sobre ações que estão acontecendo em diversas unidades da federação para debater a reforma do Estado. Ele salientou a iniciativa do Movimento Brasil Competitivo (MBC), que está propondo um Pacto pela Reforma do Estado. “Não há mais nenhuma dúvida de que os gestores precisam adotar medidas para tornar a máquina pública mais eficiente e menos burocrática”, disse Barros. Ele também adiantou que nas próximas semanas o governador Beto Richa deverá anunciar uma série de ações para a elaboração de um planejamento estratégico para o Estado. 

ESCOLAS
– Outro tema da reunião foi a polêmica em torno da reorganização de escolas e turmas da rede estadual de educação para 2016. De acordo com a secretária de Estado da Educação, Ana Seres, a readequação da estrutura de ensino é feita regularmente desde 2006 e neste momento não há nenhuma decisão sobre o encerramento de atividades em colégios estaduais. “Nenhuma escola é extinta de uma hora para a outra”, explicou Ana Seres, acrescentando que a avaliação de casos onde pode haver readequação de turmas está ainda no campo técnico. “A secretaria não trata a questão como fechamento de escolas.” Ana Seres disse que toda movimentação de turmas atende normas internas e várias quesitos, como número de matrículas e dados de georeferenciamento, permitem avaliar qual a potencial demanda das unidades. “Se houver demanda, a escola retoma as atividades normais.” Sobre este tema, o secretário Silvio Barros, afirmou que há uma clara intensão de confundir a opinião pública, tratando uma pauta positiva de maneira negativa. “Há racionalidade, coerência e responsabilidade de gestão nesta situação. É isso que o cidadão espera do gestor público.” 

BALANÇO – Na reunião da equipe administrativa do governo, o secretário da Comunicação Social, Paulino Viapiana, fez um balanço das atividades da pasta nos últimos meses, destacando as campanhas institucionais sobre parcelamento de débitos em atraso e o programa Nota Paraná. O diretor-presidente do Detran, Marcos Traad, também fez uma exposição de atividades, destacando o crescimento ao acesso remoto a serviços, por meio do Detran Fácil, que já chega a 3 milhões de atendimentos. Além de secretários de Estado, a reunião contou com a participação da vice-governadora Cida Borghetti, do presidente da Assembleia Legislativa, deputado Ademar Traiano, do líder do governo no legislativo estadual, deputado Luiz Claudio Romanelli, e de presidentes de estatais e autarquias do Estado. 

REUNIÃO - O diretor-presidente da Agência Paraná de Desenvolvimento (APD), Adalberto Netto, fez um balanço, nesta quarta-feira (28), da missão internacional liderada pelo governador Beto Richa à China, Rússia e França, de 9 a 22 de outubro. A apresentação aconteceu durante a reunião mensal do secretariado, no Palácio Iguaçu, em Curitiba. Adalberto Netto afirmou que o Paraná escolheu a Europa e a Ásia como foco estratégico para atração de investimentos ao Estado até 2018, pois são as regiões com maior perspectiva de crescimento econômico e com empresas que buscam investimentos no Brasil. Além disso, é onde estão localizados os principais países do Brics – bloco econômico formado pelo Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – que constroem uma agenda de parceria com o País. “Nossa estratégia foi identificar os países dos Brics e da Eurásia como fonte de tecnologia, parceria e oportunidade de comércio e investimentos para o Paraná”, explicou Adalberto. “Nós buscamos uma estratégia de influência política junto ao empresariado internacional, na busca de investimentos em áreas de interesse para o Paraná.” 

COMPROMISSOS
– A missão começou com uma palestra do governador Beto Richa a empresários japoneses na Câmara de Comércio e Indústria Japonesa no Brasil, em São Paulo, no dia 9 de outubro, para apresentar o bom ambiente de negócios do Paraná. A comitiva seguiu então para a China, onde visitou grupos estratégicos para a atração de investimentos ao Estado, como a empresa de tecnologia para o setor energético Nari e as montadoras Jac Motors e Foton. O Estado também firmou um memorando de cooperação com a província de Anhui para as áreas de educação, inovação, transporte urbano, energia e agricultura. Na Rússia, Richa e os demais integrantes da comitiva estiveram na sede da indústria de aeronaves Irkut Corporation, que anunciou a implantação de unidades em Maringá, e na empresa de fertilizantes Uralkali, que está investindo R$ 160 milhões no porto de Antonina para ampliar a participação no mercado Brasileiro. 

NOVAS PARCERIAS – Na missão, a Copel também reforçou o interesse em firmar novas parcerias com companhias energéticas da Rússia e da China. Com a estatal chinesa State Grid, a maior empresa de transmissão de energia do mundo, com quem a Copel já mantém projetos no Brasil, a companhia apresentou a proposta de investimentos conjuntos na área de geração, como a construção de usinas hidrelétricas e termoelétricas. Já com a russa Gazprom, maior produtora de gás natural do mundo, a Copel buscou a parceria para a construção de usinas térmicas a gás no Paraná. Também foi feita consulta sobre a viabilidade de a empresa fornecer gás natural liquefeito (GNL) ao Estado. Por fim, na França, o governador visitou a NTL, empresa que desenha, fabrica e comercializa Veículos Leves sobre Pneus (VLP), além de operar uma linha de transporte público em Paris, com o objetivo de encontrar soluções para o transporte coletivo paranaense. A comitiva também se encontrou com representantes dos governos e embaixadores dos três países, ampliando o relacionamento estratégico do Paraná no mercado internacional, e com bancos de desenvolvimento da China e da Rússia, na busca de mais recursos para o Estado.

continua após publicidade