Política

José Dirceu pede acesso integral à Lava Jato

Da Redação ·
CPI dos Fundos de Pensão aprova convocação de Dirceu - (Rocha Lobo/Futura Press/Arquivo)
CPI dos Fundos de Pensão aprova convocação de Dirceu - (Rocha Lobo/Futura Press/Arquivo)

O ex-ministro da Casa Civil e mensaleiro condenado José Dirceu solicitou, na terça-feira, "acesso integral" aos autos da Operação Lava Jato ao juiz federal Sérgio Moro, que conduz os processos da operação em Curitiba (PR). O pedido de Dirceu, subscrito por seus advogados, se dá no momento em que o ex-ministro teme que esteja "sob iminente ameaça de prisão".

Depois que o lobista Milton Pascowitch fez delação e cravou que seus contratos de consultoria disfarçam propinas do esquema na estatal petrolífera, Dirceu está convencido que pode ser o próximo alvo da Lava Jato. Por isso, no dia 2 de julho, o ex-ministro bateu às portas do Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF4) com pedido de liminar em habeas corpus preventivo - que lhe foi negado. Agora, ele aguarda que a decisão seja reconsiderada na 8ª Turma, formada por três desembargadores - a decisão deve sair nesta quarta-feira.

O temor de Dirceu aumentou ainda mais quando a Polícia Federal incluiu sua empresa, JD Assessoria e Consultoria, em um grupo de 31 empresas "suspeitas de promoverem operações de lavagem de dinheiro" em contratos das obras da Refinaria Abreu e Lima, em Pernambuco. A construção foi iniciada em 2007 e deveria custar 4 bilhões de reais, mas já consumiu mais de 23 bilhões de reais da Petrobras.

O documento da PF é o primeiro de uma série de perícias técnicas que apontam um porcentual de desvios na Petrobras de até 20% do valor de contratos. O porcentual é superior aos 3% apontados até aqui na Lava Jato, que incluía apenas propina dos agentes públicos e políticos. JD - que passou a ser usada por Dirceu para dar consultorias e palestras após sua saída do governo Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006 - integra a tabela de empresas indicadas "como operadoras de lavagem de capitais". "No período compreendido entre 31 de maio de 2010 e 28 de fevereiro de 2011, foi identificada movimentação financeira da empresa Construções e Comércio Camargo Corrêa S/A para a empresa JD Assessoria e Consultoria Ltda, num montante de 844,6 mil reais", registra a perícia. 

continua após publicidade



Fonte: veja.abril.com.br



(Com Estadão Conteúdo)