Política

Senadores do PT se solidarizam a Lula um dia após crítica ao partido

Da Redação ·
Para bancada do PT está em curso uma campanha de "ódio e ressentimento" contra Lula José Cruz/Agência Brasil
Para bancada do PT está em curso uma campanha de "ódio e ressentimento" contra Lula José Cruz/Agência Brasil

Um dia depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fazer críticas ao PT que, segundo ele, “precisa de nova utopia” e “só pensa em cargo, em emprego e em ser eleito”, a bancada do PT no Senado divulgou nota, nesta terça-feira (23), em que manifesta “solidariedade” ao ex-presidente e ataca uma chamada “sórdida campanha de deslegitimação” do petista.

No documento, a bancada enaltece a figura de Lula e afirma existir uma “campanha baseada apenas no ódio espesso dos ressentidos” ao ex-presidente. “Tentam fazer hoje contra Lula o que fizeram contra Getúlio Vargas, Juscelino Kubitschek e João Goulart.

Usam cínica e seletivamente da imprescindível luta contra a corrupção para tentar destruir um projeto nacional e popular que elevou o Brasil e o seu povo. Um projeto que propicia o efetivo combate aos desvios e que vem livrando o Brasil da grande corrupção da miséria e das desigualdades”, diz a nota sem mencionar os responsáveis pela campanha.

Ontem (22), na conferência Novos Desafios da Democracia, em São Paulo, Lula disse que o PT precisa urgentemente voltar a falar com a juventude para que os jovens coordenem o partido, já que muitos dos atuais membros estão “cansados”.

O ex-presidente acrescentou que, muitas vezes, os revolucionários procuram se adequar à política em vez de mudá-la. “Você pode ter uma pessoa bem radical, mas coloque-a no Congresso Nacional que daqui a pouco ela vai estar sentada ao lado de alguém de extrema direita”, afirmou.

O líder do governo no Congresso, Delcídio Amaral (PT-MS), concordou com as críticas feitas pelo ex-presidente. Para ele, Lula, independentemente de ter presido o país, é um militante petista. “Ele é a maior liderança que temos e, dentro desse contexto, acho que ele enfatizou isso, o PT tem que mudar. Se o PT não se reciclar, não avaliar muito bem toda a experiência que vivenciamos de transformação do país, vamos ficar para trás”, avaliou Delcídio.

continua após publicidade