Política

​Renan e Cunha cobram reação à hostilidade contra senadores

Da Redação ·
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmaram na tarde desta quinta-feira (18) que vão cobrar do governo brasileiro reação ao episódio de hostilidade relatado por senadores que foram à Venezuela. Renan disse que irá telefonar para a presidente Dilma Rousseff para cobrar uma reação “altiva” do governo brasileiro contra o episódio relatado pela delegação brasileira na Venezuela.

continua após publicidade

Em visita à Venezuela, senadores brasileiros foram cercados por manifestantes em Caracas, segundo relato do repórter Rodrigo Carvalho, da GloboNews. Por meio das redes sociais, os parlamentares relataram ter tido dificuldades para deixar o aeroporto da capital do país vizinho. “Qualquer agressão aos nossos senadores, à nossa delegação, é uma agressão ao Legislativo. Estou telefonando para a presidente e vou cobrar do governo brasileiro uma reação altiva”, afirmou Renan.

Renan disse, ainda, que já conversou com o ministro das Relações Exteriores, Mauro Vieira, que, segundo o senador, o relatou que no mesmo momento em que os senadores chegaram ao país, a polícia venezuelana estava transferindo um preso político o que teria inviabilizado o trajeto tranquilo dos parlamentares.

continua após publicidade

“Mas nada disso importa muito. O que importa é o clima de tensão, de intimidação, de ofensa, de agressão. E eu vou cobrar do governo brasileiro. A democracia hoje não tem mais como conviver com essas coisas medievais”, concluiu Renan. O G1 entrou em contato com as assessorias do Palácio do Planalto, do Itamaraty e da Embaixada da Venezuela e não teve resposta até a última atualização desta reportagem.

O presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), afirmou que a Casa “não concorda com nenhum tipo de agressão ou retaliação” contra quem quer que seja e que irá se “associar a qualquer tipo de reação”. “Eu mesmo fiz gestões diretas para que recebesse os brasileiros da forma adequada”, disse, acrescentando que já falou com o presidente do Senado, Renan Calheiros. “Ele já está tomando as providências, não só emitindo nota, mas já procurou a presidente Dilma”, disse.

Cunha informou que vai criar uma comissão de deputados para conversar com ministro de Relações Exteriores, Mauro Vieira, sobre os relatos de agressão envolvendo senadores brasileiros que estão em viagem na Venezuela. Após falar por telefone com o ministro, Cunha confirmou que foram jogadas pedras na van que levava os parlamentares a Caracas.