Política

Apucarana concede abono de 45% a motoristas do Samu

Da Redação ·
O prefeito justifica ainda que “esses profissionais precisam ter sua saúde física e mental garantida e precisam de condições adequadas para continuar salvando vidas” - Foto: Divulgação Câmara
O prefeito justifica ainda que “esses profissionais precisam ter sua saúde física e mental garantida e precisam de condições adequadas para continuar salvando vidas” - Foto: Divulgação Câmara

A Câmara de Vereadores de Apucarana realizou ontem pela manhã sessão extraordinária para apreciação de cinco projetos de leis encaminhados pelo Poder Executivo. Os projetos seguiram para o Legislativo em regime de urgência na última sexta-feira e a sessão extraordinária convocada às pressas pela mesa executiva da Câmara.

continua após publicidade

A principal proposta, aprovada em primeira discussão, diz respeito à concessão de um abono mensal de até 45% sobre o valor de seus vencimentos aos motoristas que atuam no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Trata-se de um benefício que os “condutores socorristas”, como são denominados, vinham reivindicando há vários anos e que agora está sendo concedido pela administração do prefeito Beto Preto (PT), inclusive para entrar em vigor já a partir deste mês de maio, daí a urgência do projeto.

A matéria foi aprovada por unanimidade dos vereadores, que enalteceram o trabalho difícil e perigoso executado pelos motoristas do Samu ao trafegarem com as viaturas em alta velocidade no trânsito da cidade para atender às ocorrências. O vereador José Eduardo Antoniassi (PSDB) lembrou, por exemplo, que ele mesmo fez este tipo de trabalho nos seus 35 anos de Polícia Militar quando ainda não havia o Samu. “Eu sei como é difícil e arriscado fazer um trabalho deste”, assinalou. No projeto encaminhado à Câmara, o prefeito Beto Preto deixa claro que se trata de um abono de capacitação especial aos ocupantes do cargo de motorista que prestam serviços no Samu para execução de serviços condutos e de primeiros socorros. E um dos requisitos é que o motorista tenha participação e aprovação no curso de Suporte Básico de Saúde.

continua após publicidade

O prefeito justifica ainda que “esses profissionais precisam ter sua saúde física e mental garantida e precisam de condições adequadas para continuar salvando vidas”. No Samu atuam hoje 12 “condutores socorristas”, que ganham uma remuneração no valor de R$ 1.098. Alguns já fizeram o curso de formação, que é dividido em 16 módulos, com dudação de um ano. Outros ainda estão em fase de formação.

CRÉDITO

Outro projeto também considerado de relevância é o que permite ao Município abrir um crédito adicional suplementar de R$ 6 milhões. Na prática, a Câmara está autorizando o Poder Executivo a contratar um empréstimo neste valor junto à Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (Sedu), para execução de obras de recape asfáltico na área central e nos bairros da cidade.

Ainda foram aprovados projetos que dispõem sobre a sistemática de avaliação de desempenho para servidores em estágio probatório; que cria o Conselho Municipal da Promoção da Igualdade Racial e a conferência municipal sobre o assunto; e o que autoriza o Executivo a conceder para uso e ocupação um imóvel ao Projeto Renascer.