Política

​Governo do Paraná anuncia saída de Fernando Francischini da Segurança

Da Redação ·
Francischini sai do cargo em meio à crise (Foto: RPC/Reprodução)
Francischini sai do cargo em meio à crise (Foto: RPC/Reprodução)

(Atualizado às 13h05min)

O Governo do Paraná anunciou, nesta sexta-feira (8), a troca do secretário de Segurança Pública – sai Fernando Francischini e entra Wagner Mesquita interinamente.

continua após publicidade

A mudança ocorre em meio à crise envolvendo a Polícia Militar (PM) que entrou em confronto com os professores, deixando mais de 200 pessoas feridas em Curitiba.

De acordo com o governo estadual, Franscischini pediu demissão. Mesquita é delegado da Polícia Federal e atuava como coordenador da Área de Inteligência da Secretaria de Segurança Pública. Francischini havia sido nomeado para o segundo mandato do governandor Beto Richa (PSDB), que começou em janeiro deste ano.

continua após publicidade

Na quinta (7), o comandante-geral da Polícia Militar do Paraná César Vinícius Kogut  entregou o cargo.

O coronel Carlos Alberto Bührer Moreira, chefe do Estado Maior da PM, vai assumir as funções de Kogut interinamente. O secretário de Educação do Paraná, Fernando Xavier, também pediu demissão, na quarta-feira (6). Ele foi substituído pela superintendente da pasta Ana Seres Trento Comim, professora há mais de 40 anos.

Wagner Mesquita de Oliveira, delegado da Polícia Federal assume, interinamente, o comando da Secretaria Estadual da Segurança Pública e Administração Penitenciária.

Carta de demissão

Na carta de exoneração, Francischini ressalta que houve avanços durante o tempo em que ficou à frente da pasta e que as áreas de Segurança Pública e de Administração Penitenciária estão no rumo certo.

continua após publicidade


Confronto

O conflito aconteceu no dia 29 de abril quando os professores protestavam em frente à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) contra o projeto do governo estadual que mudava a forma de custear a ParanaPrevidência, o regime da Previdência Social dos servidores do estado. A greve da categoria foi motivada pela mesma razão.

Leia a carta na íntegra:

"Exmo. Governador Beto Richa,            

continua após publicidade

Gostaria inicialmente, mesmo neste momento de dificuldade, rememorar os avanços na área de segurança pública que merecem destaque:

1) Polícia Civil

continua após publicidade

a) Encaminhamos para Vossa Excelência, com nosso parecer positivo, o Estatuto da Polícia Civil do Paraná; nele constam os avanços importantes para os profissionais da área, como a regulamentação das carreiras e seus direitos; A necessidade de Bacharelado em Direito para o concurso de escrivão de polícia, o reconhecimento dos peritos papiloscópicos, a padronização do subsídio de delegados de polícia para remoções de todas as categorias profissionais;

b) Encaminhamento, com parecer positivo da secretaria, da equivalência das carreiras jurídicas de Estado com os delegados de polícia;

2) Polícia Científica:      

continua após publicidade

a) Encaminhamento da PEC de recriação da Polícia Científica no Paraná;     

b) Enquadramento e encaminhamento das Promoções dos Peritos Oficiais e Auxiliares de perícia

3) Polícia Militar e Corpo de Bombeiros:     

continua após publicidade

a) Encaminhamento de uma proposta inicial da Lei de Promoção de Praças, a ser amplamente debatida;    

b) Negociação para implantação das promoções e progressões dos Policiais Militares atrasadas;

continua após publicidade

4) Polícia Penitenciária: 

 a) Regulamentação do porte de arma e da identidade funcional;  

b) Estruturação do setor de engenharia para correção dos projetos de construção e ampliação dos presídios;

continua após publicidade

5) Resultados Importantes: 

 a) Diminuição brutal dos roubos e explosões de caixas eletrônicos, que aconteciam diariamente, com diversas prisões de “gangues da dinamite” e a apreensão de fuzis, e explosivos. Em janeiro foram 25 explosões e em abril foram 9.

b) Fim das mega rebeliões em presídios com a proibição de remoções de presos, principalmente aquelas que aconteciam a critério das facções criminosas

c) reforço substancial no Departamento de Inteligência do Estado do Paraná, triplicando o número de policias.

d) Recordes de apreensão de toneladas de drogas, mais de 400 bandidos detidos em operações policiais e a prisão de centenas de traficantes que influenciaram diretamente na redução drástica de homicídios em várias cidades do Paraná, inclusive em Curitiba, resultando no melhor resultado dos últimos 9 anos.

Tenho convicção de que a segurança pública e administração penitenciária estão no rumo certo, para o alcance dos interesses do Estado e da Sociedade.  

Mesmo com todos estes resultados, venho agradecer a confiança de Vossa Excelência, mas, para colaborar com a governabilidade do nosso Estado, peço exoneração de minha função, convicto de que as ações até agora tomada se deram a favor do interesse público. Dentro da legalidade, em garantia da ordem pública.

Finalizo, assumindo novamente e publicamente todas as minhas responsabilidades, na atuação policial nas últimas operações, apoiando o trabalho da tropa. No entanto, ressalto que mesmo com as reações adversas, continuo defendendo uma apuração rigorosa tanto da polícia quanto do Ministério Público para que ao final a verdade prevaleça. 

Confiante em seu trabalho e na sua capacidade de liderança para superar este momento de crise, coloco-me a inteira disposição das causas paranaenses no Congresso Nacional e agradeço cada profissional da segurança pública e da Administração Penitenciária pelo apoio e respeito concedidos.

FERNANDO FRANCISCHINI"