Política

​Dilma cobra 'empenho' e promete não mexer em direitos trabalhistas

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia ​Dilma cobra 'empenho' e promete não mexer em direitos trabalhistas
​Dilma cobra 'empenho' e promete não mexer em direitos trabalhistas

A presidente Dilma Rousseff defendeu as medidas econômicas tomadas pelo governo. Na terça-feira (27), durante a primeira reunião ministerial do segundo mandato, ela disse que não vai mexer em direitos trabalhistas e cobrou dos ministros mais empenho no que chamou de "batalha da comunicação".

continua após publicidade

Foi o primeiro pronunciamento da presidente desde a posse, no dia 1º de janeiro. Ela abriu a reunião defendendo as últimas medidas econômicas: cortes no orçamento e aumento de impostos.

Dilma Rousseff rebateu críticas da oposição sobre as mudanças em benefícios trabalhistas, como o seguro-desemprego e a pensão por morte, que passaram a ter novos prazos de carência e concessão de benefício. Com as medidas, o governo espera economizar R$ 18 bilhões, mas para a presidente, esse ajuste não significa mexer em direitos trabalhistas. “Os direitos trabalhistas são intocáveis e não será o nosso governo, um governo dos trabalhadores, que irá revogá-los”, declarou a presidente.

continua após publicidade

Dilma disse ainda que esse rearranjo nas contas do governo trará benefícios para o país e que essas medidas não significam mudança de postura em relação à campanha eleitoral. “Não alteramos em um só milímetro o nosso compromisso com o projeto vencedor na eleição”, disse.

Confira matéria completa AQUI