Política

Ex-diretor da Petrobras diz que chegou ao alto escalão por escolha de Lula

Da Redação ·
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil
Foto: Valter Campanato/ Agência Brasil

BRASÍLIA, DF - O ex-diretor de Gás e Energia da Petrobras Ildo Sauer afirmou nesta quarta-feira (3), no Congresso, que chegou ao alto escalão da estatal por indicação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010).

continua após publicidade

Sauer foi a Brasília para ser ouvido pela CPI mista da Petrobras. Como está ocorrendo sessão do Congresso, a reunião do colegiado foi suspensa. 

Oposicionistas organizaram um depoimento informal, com os microfones fechados, diante da imprensa --eles fizeram perguntas a Sauer na sala onde ocorre a CPI. Como não se trata de oitiva oficial, as declarações não têm qualquer valor legal para a CPI. 

continua após publicidade

Sauer, um dos responsáveis pelo programa de governo de Lula em 2002, disse ter sido informado pela presidente Dilma Rousseff, então ministra de Minas e Energia, que o candidato petista o queria na companhia. 

Embora afirme não ser filiado ao PT, admite ter vínculo com o partido. Sauer disse ainda que, além de Lula, Dilma também conhecia sua capacidade técnica. 

O ex-diretor afirmou que nunca participou e jamais soube do esquema de corrupção na Petrobras, onde permaneceu de 2003 a 2007. "A minha diretoria não fazia obras. E se eu soubesse de algumas coisa, teria tomado as medidas que me caberiam", argumentou. 

continua após publicidade

Ele repetiu algumas vezes que não comentaria declarações de Paulo Roberto Costa, ex-diretor de Abastecimento e delator do esquema. 

"O que está acontecendo na Petrobras é uma tragédia: para a Petrobras, para o país, para todo mundo. Fiquei profundamente chocado", afirmou. 

O ex-diretor também confirmou a versão de que a compra da refinaria de Pasadena (EUA) fazia parte do planejamento da Petrobras. 

O ex-diretor defendeu ainda que, após o escândalo, seja revista a forma como "se recrutam os dirigentes de empresas" públicas.