Política

Com autorização judicial, Paulo Roberto Costa voltará ao Congresso para acareação

Da Redação ·
Foto: divulgação/ Agência Senado
Foto: divulgação/ Agência Senado

O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelo processo da operação Lava Jato, autorizou a ida do ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa à CPI Mista que investiga irregularidades na estatal.  Os parlamentares querem fazer uma acareação entre ele e o ex-diretor da área internacional da empresa Nestor Cerveró. Com a liberação, a comissão de inquérito já marcou a data para o encontro dos dois ex-executivos: 2 de dezembro, às 14h30.

continua após publicidade

Acusado de integrar um esquema de corrupção na companhia, Paulo Roberto Costa cumpre prisão domiciliar no Rio de Janeiro, depois de ter feito acordo de delação premiada com a Polícia Federal e o Ministério Público para contar o que sabe em troca de redução de pena.

Paulo Roberto Costa foi à CPI Mista em setembro, quando se recusou a falar aos parlamentares, sob alegação de que poderia prejudicar seu acordo com as autoridades. Cerveró também já foi ouvido na CPI e negou acusações de que agiu de má-fé para prejudicar a Petrobras na compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

continua após publicidade

O pedido para a acareação partiu do deputado Enio Bacci (PDT-RS), que lembrou a importância de se colocar frente a frente pessoas com duas versões diferentes:

- Paulo Roberto afirmou que Cerveró recebeu propina sim. E Cerveró negou aqui, em 10 de setembro. Hoje, o noticiário reafirma isso. Então, vamos colocar os dois frente a frente - disse o deputado.

Depois da acareação marcada para 2 de dezembro, a CPI Mista se reúne novamente no dia seguinte, desta vez para ouvir Ildo Sauer, diretor de Gás e Energia entre 2003 e 2007. O deputado Izalci (PSDB-DF) lembrou que a diretoria de Sauer foi citada por Paulo Roberto Costa como integrante do esquema de corrupção. Izalci é autor de um dos requerimentos que pediram a oitiva.