Política

Requião critica decisão da Câmara contrária à atuação dos conselhos populares

Da Redação ·
Foto: arquivo
Foto: arquivo

Quem tem medo do povo? Foi o que perguntou o senador Roberto Requião (PMDB-PR) ao criticar a decisão da Câmara dos Deputados de derrubar o decreto presidencial sobre a atuação dos conselhos populares.

continua após publicidade

Requião lembrou que o país conta com milhares desses conselhos, como os da saúde, do meio ambiente, do fundo de amparo ao trabalho e o Conselho de Comunicação do Senado. Inclusive, eles existem há muito tempo e o mais antigo, o Conselho Nacional de Educação foi criado há mais de 70 anos, explicou o senador.

Na opinião de Roberto Requião, a resistência a esse decreto revela que há setores políticos e empresariais que não querem ver o povo participando diretamente das decisões sobre os destinos do país e temem as brechas da Constituição que podem tornar viável a democracia direta no país.

continua após publicidade

- O nosso povo, nos últimos anos, tornou-se visível nos aeroportos,  nos shoppings, nos restaurantes, nos cinemas e nas universidades. Se a visibilidade do povo brasileiro já é desconfortável para esta gente, imagine o povo opinando, sugerindo, exigindo. Os conselhos não são deliberativos, eles são opinativos. É uma forma de ampliar um pouco o debate, na forma recomendada pela Constituição.

Roberto Requião criticou também a postura da mídia em relação aos conselhos populares, afirmando que os empresários do setor temem os efeitos da democracia participativa sobre os meios de comunicação.

- A imprensa-empresa tem pânico de que a democratização das instituições, a democracia participativa, a radicalização da democracia, ilumine o canto escuro da manipulação da informação - disse o senador.