Política

Com Minas dividida, Dilma e Aécio não vão à cidade natal deles no último dia

Da Redação ·
Foto: DIvulgação
Foto: DIvulgação

PAULO PEIXOTO
BELO HORIZONTE, MG - No último dia da campanha eleitoral do segundo turno, os dois candidatos ao Planalto que restaram na disputa, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), decidiram não ir neste sábado (25) a Belo Horizonte, cidade natal dois postulantes.

continua após publicidade

Tanto Dilma quanto Aécio deixaram de fazer as caminhadas planejadas pelas suas campanhas na capital mineira --no último dia da disputa do primeiro turno, ambos tiveram eventos em BH. Assessores das campanhas alegaram cansaço dos candidatos.

Dilma e Aécio deixaram a campanha de lado em Minas neste último dia, apesar de o cenário ser de disputa acirrada no segundo colégio eleitoral do país --50% a 50% dos votos válidos, segundo pesquisa Datafolha.

continua após publicidade

No primeiro turno, Dilma venceu Aécio no Estado por pequena diferença 43,4% a 39,7%.

Neste sábado, Dilma foi direto do Rio para Porto Alegre, onde fez sua carreira política e se estabeleceu, depois de deixar BH perseguida pela ditadura militar.

Aécio foi para a cidade mineira de São João del Rei visitar o túmulo do seu avô Tancredo Neves. Na quarta-feira passada (22), ele já havia anunciado que aquele seria um ato mais pessoal.

continua após publicidade

Sem a presença deles, as ruas da região centro sul de BH foram ocupadas por militantes e apoiadores petistas e tucanos. O trânsito virou um caos por conta das concentrações de militantes e as caminhadas que eles organizaram.

Não houve registros de incidentes. Os petistas se concentraram no centro da cidade em frente ao comitê de Dilma, e os tucanos foram para a região da Savassi.

No primeiro turno, a disputa em BH foi vencida por Aécio com grande margem de vantagem sobre Dilma --53,8% a 25,1%. Na região metropolitana o tucano também ganhou --o mesmo registrado também no sul de Minas.

continua após publicidade

Já Dilma venceu nas regiões mais pobres (66% a 23%, no norte, por exemplo) e também na rica região do Triângulo Mineiro (47% a 31,5%).

O Estado de Minas concentra 10,5% do total de eleitores.