Política

PSDB insiste na chapa puro-sangue e tenta blindar Serra

Da Redação ·
 Serra tem tentado não emitir opinião sobre escolha do vice
fonte: Google Imagens
Serra tem tentado não emitir opinião sobre escolha do vice

Mesmo diante da resistência de setores do DEM de acatar um vice tucano para José Serra, o comando do PSDB quer insistir na tese da chapa puro-sangue ao mesmo tempo que busca blindar o candidato da crise com o principal aliado.

continua após publicidade

Em São Paulo, o presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), tinha encontro marcado ontem com a cúpula do DEM para tentar reverter a crise, deflagrada desde que os tucanos definiram o nome do senador Alvaro Dias (PR) para compor a chapa como vice de Serra, na semana passada.

continua após publicidade

"Nós trabalharemos para confirmar nosso candidato a vice. Isso é democrático e deve ser visto assim", afirmou Guerra. "Considero natural que o DEM tenha um ponto de vista diferente do nosso. Mas o que deve presidir o nosso roteiro é a preocupação com a vitória de Serra."

continua após publicidade

Pelo lado do DEM, que tem convenção marcada para amanhã, o presidente da legenda, deputado Rodrigo Maia (RJ), recebeu carta branca para negociar uma solução política para a crise na aliança com o PSDB. Maia obteve aval até para romper a coligação com o PSDB em torno de Serra se considerar necessário. Apesar disso, dirigentes do partido reconhecem que seria pouco vantajoso para as duas legendas uma ruptura política.

Guerra defende o diálogo entre os dois partidos para chegar a uma solução. "E fazer a escolha sensata do ponto de vista político, administrativo e eleitoral. É sobre isso que devemos conversar." À noite, Guerra, o líder do PSDB na Câmara, João Almeida (BA), e o senador Cícero Lucena (PB) estiveram reunidos na casa do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, principal liderança do DEM no Estado.

continua após publicidade

Blindagem

Enquanto Serra opera nos bastidores, com telefonemas para a cúpula do DEM - e articulações principalmente com Kassab -, a cúpula do PSDB foi a público dizer que o presidenciável tem se mantido afastado das articulações. O objetivo é evitar que a discussão com setores do DEM respingue ainda mais em Serra. "A perpetuação da discussão é um risco muito forte para o equilíbrio das forças que representamos. Nossa campanha precisa do DEM, assim como precisa do PSDB", ressaltou Guerra. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.