Política

Personalidades declaram voto em Marina em ato em SP

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Personalidades declaram voto em Marina em ato em SP
fonte:
Personalidades declaram voto em Marina em ato em SP

O evento que reúne apoiadores à candidata à Presidência pelo PSB, Marina Silva, foi aberto por falas de pessoas que vieram declarar voto em Marina. O primeiro a falar foi o músico Arnaldo Antunes, que já havia declarado apoio à ex-ministra em outras ocasiões. "Eu vim aqui para engrossar a torcida", disse o músico. Ele afirmou ainda que, apesar do "bombardeio de mentiras" do qual Marina tem sido vítima, ela tem mantido uma postura firme. "Isso prova que a menina vai chegar lá", afirmou.

Antunes foi seguido por diversas personalidades, da educação à ciência política, do empresariado a representantes de comunidades indígenas.

Marina chegou pouco mais de uma hora atrasada ao evento. Foi recebida com a música composta por Gilberto Gil para sua campanha. Militantes com bandeiras da campanha também gritaram "Eduardo presente, Marina presidente", em lembrança ao candidato morto em acidente aéreo, em 13 de agosto.

CGADB

O pastor Lelis Washington Marinhos, da comissão política da Congregação-Geral das Assembleias de Deus do Brasil (CGADB), também confirmou presença no evento. Segundo ele, ainda não houve uma decisão formal da CGADB entre apoiar a ex-ministra ou o Pastor Everaldo do (PSC). O pastor admitiu contudo que sua presença será uma sinalização clara da inclinação de apoiar Marina. "É uma sequência", disse Lelis.

O pastor esteve no encontro de lideranças evangélicas com a candidata do PSB, na última sexta-feira, 26. O evento não estava na agenda oficial de Marina. Na ocasião, Lelis disse ter ficado satisfeito com o discurso da ex-ministra.

Lelis disse que um apoio formal, com declaração da CGADB, provavelmente virá apenas após o segundo turno. Nos bastidores, a coordenação da campanha de Marina já considera certo o apoio, mas vê que será uma questão de menor impacto que em 2010. No último pleito presidencial, a congregação apoiou o tucano José Serra, em meio a acusações de que Dilma Rousseff (PT) teria posições pró-aborto.

continua após publicidade