Política

Em debate, Alckmin rebate críticas de adversários com ataques

Da Redação ·
Foto: Divulgação
fonte:
Foto: Divulgação

SÃO PAULO, SP - Em debate promovido pela TV Record nesta sexta-feira (26) entre candidatos ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), que lidera com folga as pesquisas eleitorais no Estado, respondeu com ataques as críticas feitas por seus principais adversários.

Quando Paulo Skaf (PMDB) questionou o tucano sobre sua propaganda eleitoral, que insinuou que o peemedebista cobraria mensalidade em escolas públicas caso eleito, Alckmin rebateu dizendo que o adversário era o "candidato das taxas".

"O próprio Skaf diz que vai cobrar nas universidades. Como vai cobrar? O Skaf é o candidato da taxa. A inflação foi 6%, e a taxa do Sesi cresceu 12%", atacou Alckmin.

Skaf é presidente licenciado da Fiesp (Federação das Indústrias do Estado de São Paulo), responsável pela administração do Sesi.

Apesar de não terem se enfrentado diretamente no primeiro bloco do debate, o candidato Alexandre Padilha (PT) e o governador trocaram farpas.

Em sua primeira fala, o petista aproveitou o tempo para, a exemplo de Skaf, criticar a postura de Alckmin em sua propaganda eleitoral.

"Fui vítima de ataques que não são verdadeiros. Pare de fugir dos debates e fazer ataques por meio de atores do programa eleitoral", alfinetou o petista.

Dos três debates ocorridos entre os candidatos ao governo estadual até o momento, Alckmin compareceu a dois. Outros dois encontros foram cancelado porque tanto o tucano quanto Skaf não confirmaram presença.

Quanto teve a oportunidade, Alckmin disse que Padilha se faz de vítima. "O Padilha tenta se vitimizar, mas ele deixou de investir R$ 12 bilhões quando era ministro da Saúde", afirmou.

Pesquisa Datafolha divulgada nesta sexta mostra Alckmin em primeiro lugar na corrida ao Palácio dos Bandeirantes, com 51% das intenções de voto. Skaf aparece com 22% e Padilha, 9%.

continua após publicidade