Política

Presidente do TJ assume governo do Rio Grande do Sul

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Presidente do TJ assume governo do Rio Grande do Sul
fonte: Foto: Guilherme Santos/ UPPRS
Presidente do TJ assume governo do Rio Grande do Sul

O candidato à reeleição do governo do Rio Grande do Sul pelo PT, Tarso Genro, entrou em licença não remunerada nesta segunda-feira, 15, para se dedicar à campanha em tempo integral. Ele ocupa o segundo lugar nas pesquisas de intenção de votos, atrás da senadora Ana Amélia Lemos, do PP. De acordo com a pesquisa Datafolha mais recente, Ana Amélia tem 37% e Genro, 28%. Pelo Ibope, os porcentuais são de 38% e 30%.

O presidente do Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RS), desembargador José Aquino Flôres de Camargo, tomou posse como governador em exercício na manhã de hoje, em solenidade no Palácio Piratini. Os dois primeiros nomes na linha sucessória optaram por não assumir o cargo porque também concorrem nestas eleições - o vice-governador Beto Grill (PSB) tenta se eleger deputado federal e o presidente da Assembleia Legislativa, Gilmar Sossella (PDT), busca a reeleição como deputado estadual.

"Nesse contexto de transitoriedade, somos conscientes do dever de dar curso à regularidade da vida institucional, certos da lealdade e transparência que sempre pautaram as nossas relações com a atual equipe de governo", declarou Camargo.

Em entrevista na semana passada, Carlos Pestana, coordenador da campanha de Tarso, explicou que a licença é uma das estratégias para tentar reverter a desvantagem com relação a Ana Amélia. O PT quer intensificar a presença de Tarso nas ruas, principalmente no interior do Estado.

Nesta segunda-feira, Tarso cumpre agenda durante todo o dia. De manhã esteve em Porto Alegre e à tarde, em Erechim, no interior do Estado. Antes da licença, ele procurava concentrar os compromissos de campanha no horário do almoço e após o expediente.

A licença vai inicialmente até 5 de outubro, quando ocorre o primeiro turno da eleição. Mas o decreto de afastamento permite que ela seja prorrogada até 26 de outubro, se houver segundo turno.

Durante o tempo em que Camargo permanecer no Palácio Piratini, a presidência do Tribunal de Justiça será exercida pelo primeiro vice-presidente, desembargador Luiz Felipe Silveira Difini.

continua após publicidade