Política

Após bronca de Lula, Padilha endurece ataques contra Alckmin e Skaf

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Após bronca de Lula, Padilha endurece ataques contra Alckmin e Skaf
fonte: Foto: arquivo
Após bronca de Lula, Padilha endurece ataques contra Alckmin e Skaf

SÃO PAULO, SP - Após levar uma bronca do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o candidato do PT ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, endureceu as críticas aos adversários Geraldo Alckmin (PSDB) e Paulo Skaf (PMDB) no horário eleitoral de televisão desta segunda-feira.

continua após publicidade

No programa, o tucano é apresentado como candidato do "partido de promessas não cumpridas em 20 anos de governo" e o peemedebista como "o candidato que sempre representou os mais ricos". As citações são acompanhadas de imagens dos concorrentes e de aliados deles, como os ex-governadores José Serra (PSDB) e Luiz Antônio Fleury (PMDB).

As falas divergem do discurso de Padilha no programa da quarta-feira (3), de que estava "indignado" com "picuinhas" entre os concorrentes e que São Paulo "precisa é de soluções".

continua após publicidade

O novo programa, no entanto, segue a linha das críticas de Lula. Na semana passada, o ex-presidente afirmou que Skaf tem feito campanha mais combativa, como "o PT deveria estar fazendo". Estacionado em terceiro lugar na disputa, com 7% das intenções de votos, Padilha foi escanteado dos ataques de Alckmin e Skaf em eventos públicos e peças eleitorais.

Nesta segunda, as falas de Lula ganharam destaque na propaganda. Em palanque, ao lado de Padilha, ele diz que "grandes obras, como o anel rodoviário, são mostradas como se fossem obra do Estado". "Mas se não fosse o governo federal, essa obra não tinha saído", completa.

Em seguida, um locutor diz que "nenhum governo investiu tanto em São Paulo quanto os governos federais do PT".

continua após publicidade

No palanque, Padilha também ataca os concorrentes.

"Dois candidatos: um que governa há 20 anos e o outro que juntou todos os governadores antes dos 20 anos junto com ele disputando quem governou pior esse Estado de São Paulo", discursou, acrescentando que "eles estão brigando entre quem fez o maior programa de privatização da máquina pública" do Estado, com "aquele que, quando assumiu o Sesi, passou a cobrar taxa de mensalidade dos pais dos alunos".

Skaf é presidente licenciado da Fiesp (Federação de Indústrias do Estado de São Paulo), Sesi e Senai.

Segundo o Datafolha, Alckmin tem 53% das intenções de votos. Skaf tem 22%.