Política

Apucarana e região precisam reagir, afirma Ceranto na ACIA

Da Redação ·
O candidato a deputado federal Dival Ceranto, enquanto apresentava suas propostas na ACIA - Fotos: Assessoria ACIA
O candidato a deputado federal Dival Ceranto, enquanto apresentava suas propostas na ACIA - Fotos: Assessoria ACIA

Dival Ceranto, terceiro candidato local a apresentar suas propostas à diretoria da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Apucarana (ACIA), é também o primeiro a concorrer a uma vaga na Câmara Federal. Formado em Ciências Contábeis e Administração de Empresas, ele concorre a deputado federal pelo PSB. É primo de Vanderley Ceranto, que foi diretor da Fecea, e de Alexandre Ceranto, ex-deputado federal e ex-prefeito de Umuarama.

continua após publicidade

Esta é a primeira vez que Dival Ceranto concorre a cargo eletivo. Ele disse que sua candidatura nasceu de uma reflexão sobre a situação de Apucarana e região. “Trabalhei por um tempo aqui, depois fui atuar na área do cooperativismo. Tive a oportunidade de trabalhar em várias regiões do Paraná e posso dizer que essas regiões conseguiram se unir em torno de projetos de desenvolvimento e de fortalecimento político. São regiões que estão crescendo muito, enquanto Apucarana e região estão ficando para trás”, sustentou o candidato. Ceranto apresentou números comparativos entre Apucarana e outras cidades do mesmo porte. “Em 1980, Apucarana era a 12ª. colocada no Paraná em termos de peso econômico. Hoje é a 21ª. e, se não fizermos nada, em cinco anos a cidade será a 26ª”, argumenta o candidato.

Para Ceranto, é preciso que a classe empresarial e representantes da sociedade organizada se unam em favor de um projeto para a cidade. “Este projeto vai ter que passar pela eleição de nomes próprios para a Assembleia e a Câmara Federal. Vou fazer de tudo para me eleger, mas se isso não acontecer e eu deixar pelo menos esse alerta na cabeça das pessoas que encabeçam os setores produtivos, minha candidatura já terá valido a pena”, acrescentou.

continua após publicidade

Ceranto defende a contratação de técnicos especializados para a definição de projetos que possam impulsionar o desenvolvimento local e regional, maior presença para o empresariado nas decisões de governo, a construção de um centro de eventos em Apucarana e mais apoio para as secretarias municipais de indústria e comércio. Ele também lembrou que no início da década de 80 Apucarana chegou a ter dez hospitais, estando hoje com apenas um. “Só isso já mostra o quanto o município ficou para trás”, argumenta.

Ceranto espera ter apoio no meio cooperativo. “Obviamente, muitos trabalhadores desse meio estão comprometidos com os candidatos de suas cidades, mas espero conseguir votos no setor e espero sensibilizar o eleitor de Apucarana e do Vale do Ivaí para a importância de se eleger pessoas daqui”, ressaltou.

O presidente da ACIA, Júnior Serea, afirmou que a entidade continuará ouvindo os candidatos a deputado por Apucarana como forma de contribuir para que os mais de mil associados tenham mais informações sobre o perfil e as propostas de cada um. “Não queremos influenciar na decisão do associado em favor deste ou daquele candidato, mas dar mais um passo em favor do voto consciente, que é a forma de se fortalecer a democracia e a representatividade do município”, destacou Serea.