Política

PF usa drones para fazer varredura no local de queda de avião em Santos

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia PF usa drones para fazer varredura no local de queda de avião em Santos
fonte: Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil
PF usa drones para fazer varredura no local de queda de avião em Santos

SANTOS, SP - A Polícia Federal vai utilizar drones (veículos aéreos não tripulados) para fazer a varredura na área onde caiu o avião em que viajava o candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, em Santos (SP).

continua após publicidade

A queda da aeronave, na última quarta-feira (13) matou o presidenciável e outras seis pessoas -quatro assessores dele e dois pilotos.

Os equipamentos utilizados pela PF vão coletar informações que serão utilizadas na investigação sobre as causas do acidente.

continua após publicidade

Os aparelhos chegaram de Brasília por volta das 8h desta sexta-feira (15). Desde esse horário, os equipamentos estão sendo utilizados em três frentes.

A primeira auxilia o Corpo de Bombeiros na busca por corpos, a segunda analisa os destroços da aeronave, e a terceira vai cuidar da varredura do local do acidente.

Os drones sobrevoarão a área captando imagens em 3D. Elas poderão ser usadas para a elaboração de uma reconstituição do acidente. Os dados obtidos ajudarão a definir, entre outras coisas, qual foi a trajetória do avião antes da queda e as causas do desastre.

continua após publicidade


ACIDENTE

O candidato do PSB à Presidência da República, Eduardo Henrique Accioly Campos, 49, morreu na quarta (13) em acidente aéreo em Santos, litoral paulista, onde cumpriria agenda de campanha. O jato Cessna 560 XL, prefixo PR-AFA, partira do Rio e caiu em área residencial.

Dois pilotos e quatro assessores também morreram, e sete pessoas em solo ficaram feridas. Os restos mortais removidos do local do acidente chegaram na noite de quarta na unidade do IML (Instituto Médico Legal) na rua Teodoro Sampaio, no bairro Pinheiros, em São Paulo. A Aeronáutica investiga a queda.

continua após publicidade

Governador de Pernambuco por dois mandatos, ministro na gestão Lula, presidente do PSB e ex-deputado federal, Campos estava em terceiro lugar na corrida ao Planalto, com 8% no Datafolha. Conciliador, era considerado um expoente da nova geração da política.

O PSB tem dez dias para anunciar eventual substituição do candidato. Adversários na disputa, PT e PSDB já se preparam para enfrentar Marina Silva, a vice de Campos. Candidata à reeleição, a presidente Dilma Rousseff (PT) decretou luto oficial de três dias e afirmou que o acidente "tirou a vida de um jovem político promissor". Também presidenciável, Aécio Neves (PSDB) disse ter perdido um amigo.

Marina declarou que guardará dele a imagem de "alegria" e "sonhos". Campos morreu num 13 de agosto, mesmo dia da morte do avô, o também ex-governador Miguel Arraes (1916-2005). Campos deixa mulher, Renata Campos, e cinco filhos, o mais novo nascido em janeiro. "Não estava no script", disse Renata.