Política

Dilma viajará à Pernambuco para velório de Eduardo Campos

Da Redação ·
 Dilma fez pronunciamento pelo falecimento de Eduardo Campos
fonte: Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom /Agência Brasil
Dilma fez pronunciamento pelo falecimento de Eduardo Campos

BRASÍLIA, DF - A presidente Dilma Rousseff informou nesta quarta-feira (13) que irá viajar à Pernambuco para participar do velório de Eduardo Campos, morto na manhã de hoje em um acidente de avião em Santos (SP).

continua após publicidade

Dilma fez um rápido pronunciamento na tarde de hoje no Palácio do Planalto. Em nome do governo e do povo brasileiro, Dilma voltou a dizer que o Brasil está de luto e que o país perdeu "um jovem político promissor".

"Em nome do governo brasileiro e do povo queria dar os mais profundos pêsames à família de Eduardo Campos, a sua mãe, Ana Arraes, a dona Renata [Campos], como ele carinhosamente chamava sua esposa e aos seus filhos e a toda à família", disse.

continua após publicidade

"O Brasil perde uma jovem liderança com um futuro extremamente promissor pela frente. Um homem que poderia galgar os mais altos postos do país. Sem sombra de dúvida é uma perda", afirmou Dilma. Ela disse esperar que o exemplo dado pelo pessebista sirva de inspiração para as próximas gerações.

"Espero que o exemplo de Eduardo Campos sirva para mantê-lo vivo na memória e nos corações de todos os brasileiros e brasileiras. Devemos também acatar o reconhecimento de que nós, seres humanos, somos afetados pelas fragilidades da vida e pela força do exemplo das pessoas", disse.

A presidente citou o ex-governador de Pernambuco Miguel Arraes, avô de Campos, e os comparou em suas trajetórias políticas. "Neto de um grande político, grande democrata, um lutador que foi referência para a minha geração", disse. Arraes morreu em 2005, também em 13 de agosto. "Campos seguiu os seus passos e por duas vezes foi governador de Pernambuco", afirmou.

continua após publicidade

Dilma relembrou ainda o período em que Campos e ela foram ministros do governo Lula e aliados durante parte de seu governo. "Eu convivi com ele como ministra do presidente Lula mas também nas campanhas de 2006, de 2010 e também no governo", disse. Dilma foi ministra de Minas e Energia e da Casa Civil no governo Lula enquanto Campos foi ministro de Ciência e Tecnologia.

No fim do ano passado, Campos saiu da base aliada do governo para se candidatar à Presidência, com a promessa de ser uma terceira via para a política brasileira. "Para além das nossas divergências, a última vez que o vi, no funeral do Ariano Suassuna, a que eu fui apresentada pela dona Renata, eu queria dizer que mantivemos ali, mais uma vez, a reiterada relação afetuosa que construímos ao longo da vida". Ela agradeceu à família de Campos pela amizade que tem, principalmente com a esposa do ex-governador, Renata Campos.

Dilma estendeu suas condolências às outras quatro pessoas que estavam a bordo do avião: Alexandre Severo, fotógrafo oficial da campanha, Marcelo Lyra, cinegrafista, Pedro Valadares, ex-deputado e assessor de Campos, e Carlos Percol, assessor de imprensa. Campos era o candidato do PSB à Presidência. Também morreram o piloto e o copiloto da aeronave. Ao menos cinco pessoas ficaram feridas e foram encaminhadas para o hospital da região.

continua após publicidade

Dilma afirmou que irá à Pernambuco tão logo seja informada sobre a data e o velório de Campos. Ela afirmou que tentou falar com a família do ex-governador mas não conseguiu. De acordo com ela, quando telefonou para Ana Arraes, ministra do TCU (Tribunal de Contas da União), ela já havia embarcado em um voo de Brasília à Recife.

A presidente colocou à disposição da família e do governo de Pernambuco todos os recursos do governo federal.

Dilma decretou luto oficial por três dias e cancelou todos os seus compromissos de campanha neste período. Os comitês de campanha em todo o país ficarão fechados. O decreto de luto oficial foi publicado em uma edição extra do Diário Oficial da União nesta quarta.

Dilma participaria na noite desta quarta da sabatina do "Jornal Nacional" e depois daria uma entrevista ao "Jornal das Dez" da Globonews. Nesta quinta (14), Dilma viajaria a Minas Gerais e na sexta ela iria ao Rio de Janeiro.