Política

Justiça Eleitoral obriga Beto Richa a apresentar gastos de campanha

Da Redação ·
Justiça Eleitoral obriga Beto Richa a apresentar gastos de campanha.
fonte: Arquivo
Justiça Eleitoral obriga Beto Richa a apresentar gastos de campanha.

SÃO PAULO, SP - O TRE (Tribunal Regional Eleitoral) do Paraná determinou nesta sexta-feira (8) que o governador Beto Richa (PSDB) e seu comitê de reeleição apresentem a prestação de contas parcial da campanha.
A prestação de contas do candidato referente a julho, divulgada nesta quarta-feira (6), estava zerada - sem registro de despesas nem receitas.
A decisão da juíza Renata Baganha foi tomada após representação da candidata do PT ao governo paranaense, Gleisi Hoffmann.
O juíza considerou que houve descumprimento de normas que obrigam os candidatos a apresentar gastos de forma a garantir a isonomia frente aos demais.
"Não basta ao candidato e ao comitê financeiro simplesmente apresentarem as contas formalmente, buscando preencher um requisito legal. É preciso que as contas sejam efetivamente prestadas para dar atendimento aos dispositivos da lei", afirmou na decisão.
Baganha disse que há elementos suficientes para "indicar a existência de despesas já contratadas pela parte representada" e deu 48 horas para o comitê de campanha de Richa apresentar os gastos.
A reportagem não conseguiu contato com a campanha do governador neste sábado para comentar a decisão da Justiça Eleitoral.
PRESTAÇÃO PARCIAL
Embora a prestação não tenha registrado gastos, Richa já viajou a cidades do interior e realizou jantares de apoio à candidatura. Tem também equipe e comitê montados.
Questionado sobre a ausência de arrecadação na manhã de quinta-feira (7), Richa disse que "puxaria a orelha" dos seus coordenadores. "Eu mato eles", brincou. "Sem recurso não se faz campanha."
A assessoria de Richa, porém, informou que a prestação apresentada à Justiça era "a exata expressão da situação contábil da campanha" no período, e que seguiu "todos os procedimentos exigidos pela legislação".
A campanha não explicou, mesmo após questionada, se isso quer dizer que nenhuma despesa foi feita, se elas só serão contabilizadas neste mês ou se não houve arrecadação. "É estratégico", limitou-se a afirmar um assessor.
Gleisi declarou ter arrecadado R$ 2,58 milhões e gastado R$ 1,5 milhão. Roberto Requião (PMDB) informou arrecadação de R$ 304 mil, um pouco menos do que os R$ 341 mil de despesas. 

continua após publicidade