Política

"Eu não leio Fernando Henrique", diz Lula

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia "Eu não leio Fernando Henrique", diz Lula
fonte: Foto: Heinrich Aikawa/ Instituto Lula
"Eu não leio Fernando Henrique", diz Lula

SÃO PAULO, SP - "Eu não leio Fernando Henrique [Cardoso]", disparou nesta quarta-feira (16) o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao ser questionado das críticas de seu antecessor publicadas em um artigo.

continua após publicidade

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso divulgou nesta terça (15) um texto no qual acusa Lula de promover "baixarias e falsas acusações", ser "incapaz da autocrítica" e tentar "distrair a opinião pública jogando culpa nos outros".

Ao participar de um evento do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, com catadores de materiais recicláveis, Lula não quis polemizar com o tucano e evitou as perguntas dos jornalistas sobre o artigo.

continua após publicidade

Citando o mensalão, FHC afirmou que "em nenhum momento Lula explicou de forma detalhada os acontecimentos que levaram ao maior escândalo de corrupção da história republicana".

O tucano escreveu ainda que, quando viajou com o petista para a África do Sul (funeral do presidente Nelson Mandela, em dezembro), sugeriu a ele que "deveria virar esta página, já julgada pela suprema corte". "Mas não, Lula insiste em continuar distorcendo fatos para dizer que todos fizeram algo parecido. Eu não caio nessa cilada."

O texto foi publicado no site Observador Político, dirigido pelo ex-deputado Xico Graziano (PSDB-SP), atual chefe de gabinete de FHC em seu instituto. É uma resposta, com quase duas semanas de atraso, a uma fala de Lula em Curitiba no dia 3 de julho.

continua após publicidade

Durante um evento de campanha da senadora petista Gleisi Hoffmann, candidata a governadora do Paraná, Lula disse que FHC "desmantelou instrumentos de combate à corrupção" na época em que dirigia o país. Na ocasião, o petista disse que a primeira iniciativa de FHC na Presidência foi extinguir "a comissão geral de investigação criada pelo governo anterior [Itamar Franco]".

"Depois nomearam o engavetador-geral da República [o ex-procurador-geral Geraldo Brindeiro] e engavetaram os casos Sivam, pasta rosa e a compra de votos, num total de 459 inquéritos criminais, quatro contra o próprio FHC."

No artigo de terça, FHC fez considerações sobre as críticas de Lula. Classificou o caso do decreto de "insignificante" e disse que todas as acusações foram investigadas, mas nada ficou provado.