Política

Candidatos da região estimam gastar até R$ 43,7 milhões

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Candidatos da região estimam gastar até R$ 43,7 milhões
Candidatos da região estimam gastar até R$ 43,7 milhões

Os 25 candidatos a deputados estaduais e federais da região, que inclui Apucarana, Arapongas, Ivaiporã, Jandaia do Sul, Mandaguari e Marilândia do Sul, preveem gastar até R$ 43,7 milhões juntos na campanha eleitoral. A previsão de despesas, bem como o valor do patrimônio de cada um constam de informações prestadas pelos postulantes ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR), bem como ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE). As informações são públicas e estão no site do TSE no DivulgaCand2014.

Só os nove candidatos de Arapongas registraram um limite de gastos que soma em torno de R$ 18,2 milhões, enquanto os de Apucarana contabilizam um total de até R$ 16,3 milhões.

Dos concorrentes de Apucarana, o que informou o maior limite de gastos é o empresário e ex-vereador Alvidino Marques da Cruz Neto (PSC), o Val, que tenta uma vaga na Assembleia Legislativa do Paraná. Sua previsão é de uma despesa de até R$ 4 milhões. Seu patrimônio declarado à Justiça Eleitoral soma aproximadamente R$ 2,5 milhões.
Em seguida vem Sérgio do Cristma (PSDB), que informou um limite de gastos de até R$ 3 milhões. Seu patrimônio declarado gira em torno de R$ 1,2 milhão.

O vereador Mauro Bertoli (PTB), candidato a deputado estadual, prevê uma despesa de até R$ 2,5 milhões. No entanto, ele informou ter um patrimônio orçado em apenas R$ 47,5 mil, referentes a quotas de capital da empresa M. Bertou & Cia Ltda. 

O candidato de Apucarana que registrou o menor limite de gastos é o concorrente a estadual Alex Júlio Barbosa (PSOL), que prevê gastar apenas R$ 200 mil. Seu patrimônio declarado é de R$ 13,7 mil, correspondente a um veículo Siena ELX ano 2001. 

Em Arapongas, quem informou o maior limite de gastos é o candidato a deputado estadual Adauto Fornazieri (PSC), em torno de R$ 4 milhões. Ele declarou ter um patrimônio orçado em R$ 160,9 mil.

Entre todos os candidatos da região, o que informou o maior limite de gastos é o engenheiro agrônomo Sérgio Empinotti (PDT), de Ivaiporã, que concorre a deputado federal. O limite registrado é de até R$ 6 milhões. Seu patrimônio declarado é de aproximadamente R$ 1,7 milhão.

O suplente de senador Sérgio Souza (PMDB), que também é candidato a deputado federal, prevê despesas de até R$ 4 milhões durante a campanha eleitoral. Seu patrimônio está orçado em R$ 1,6 milhão, conforme informado à Justiça Eleitoral.

O vereador Anderson Bueno (PPL), popular Sabão, de Marilândia do Sul, concorrente a deputado estadual, prevê gastar no máximo R$ 300 mil. Seu patrimônio está orçado em R$ 256,7 mil.





NO PARANÁ

Com base no levantamento no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PR), as campanhas majoritária e proporcionais no Paraná têm um teto de gastos de R$ 2,6 bilhões. Os oito candidatos ao governo registraram teto de R$ 108,02 milhões, já o teto dos oito candidatos ao Senado é de R$ 48,8 milhões – Marcelo Almeida (PMDB) estimou custo de até R$ 30 milhões. Os 770 candidatos a deputado estadual estimaram custos máximos de R$ 1,5 bilhão em suas campanhas e os 316 candidatos a deputado federal têm tetos registrados de R$ 930,5 milhões.

continua após publicidade