Política

Metrô volta a funcionar em SP após fim de greve

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Metrô volta a funcionar em SP após fim de greve
fonte: Foto: Arquivo
Metrô volta a funcionar em SP após fim de greve

SÃO PAULO, SP - Com a suspensão da greve dos metroviários, os trens voltaram a circular normalmente nesta terça-feira (10) em São Paulo. Desde às 4h42 todas as linhas geridas pelo Metrô -1-azul, 2-verde, 3-vermelha e 5-lilás- e a linha 4-amarela -que opera sob concessão- estão funcionando normalmente.

continua após publicidade

O rodízio municipal de veículos também volta a vigorar nesta terça, segundo informou a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego). Carros com placas de final 3 e 4 não devem circular entre 7h e 10h e 17h e 20h.

Os metroviários decidiram suspender a greve iniciada na última quinta-feira (5) na capital paulista. A categoria pede que os funcionários demitidos na manhã desta segunda (9) sejam readmitidos até a quarta-feira (11), quando ocorrerá uma nova assembleia às 18h30. Os funcionários voltaram ao trabalho ainda nesta segunda, mas afirmaram que poderão retomar a paralisação na quinta (12), dia da abertura da Copa do Mundo, caso não tenham a reivindicação atendida. A abertura do Mundial acontecerá no Itaquerão, na zona leste de São Paulo. "Já pedi aos companheiros voltarem ao trabalho. Pode demorar um pouco, porque demora para chegar nos locais, mas é para voltar agora", afirmou o presidente do sindicato dos metroviários, Altino Prazeres Junior. "A categoria entendeu que era hora de voltar ao trabalho para mostrar a disposição em negociar. Espero que o governo negocie", completou.

continua após publicidade

Altino afirmou ainda que que o reajuste atual não é o que a categoria gostaria, mas "a prioridade são os companheiros demitidos", afirmou. Nesta segunda-feira, representantes da categoria já tinham se reunido com o governo estadual para pedir a anulação das demissões, mas o pedido foi rejeitado.

A Justiça já havia determinado no domingo (8) que a greve era abusiva. Mesmo assim, a categoria havia decidido manter a paralisação nesta segunda, quinto dia da greve. Com isso, apenas 50 estações operaram de um total de 65, contando as da linha 4-amarela, que opera sob concessão.
Também já estava definido pela Justiça o reajuste de 8,7% -mesmo percentual proposto pelo Metrô. Os metroviários pediam 12,2%. O último reajuste da categoria foi de 8% frente a um INPC de 7,2%, no ano passado. O piso atual é de R$ 1.323,55.