Política

Candidato do PTB critica secretarias criadas por Campos

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Candidato do PTB critica secretarias criadas por Campos
fonte: Foto: arquivo
Candidato do PTB critica secretarias criadas por Campos

FORTALEZA, CE - O pré-candidato do PTB ao governo de Pernambuco, senador Armando Monteiro Neto, criticou nesta quinta-feira (5) o número de secretarias criadas pelo ex-governador Eduardo Campos (PSB) no período que comandou o Estado (2007-2014).

continua após publicidade

O senador, que fez parte do antigo governo até outubro do ano passado, prometeu cortes em algumas pastas caso seja eleito, mas não deu detalhes.

"O governo de Pernambuco chegou a ter 27 secretarias. É um número muito elevado. Nossa ideia é cortar alguns gastos para que outros mais importantes passem a ter espaço. Em Minas Gerais, por exemplo, são 17 secretarias. No Rio Grande do Sul são 19. Não há necessidade de tantas em Pernambuco", disse o senador.

continua após publicidade

A declaração foi dada durante sabatina promovida pela Folha de S.Paulo, pelo portal UOL e pelo SBT, feita com os principais pré-candidatos ao governo de Pernambuco.

Candidato à Presidência, o pessebista Eduardo Campos tem pregado um governo "enxuto" e "eficiente" na gestão pública, criticando o número de ministérios do governo Dilma e prometendo cortes.

Monteiro Neto também criticou o número de funcionários temporários contratados pelo Estado durante o governo Campos. Segundo ele, são 27 mil ocupando postos públicos, o que "fere o princípio do mérito e incha a estrutura do governo".

continua após publicidade

O senador também elogiou algumas ações do ex-governador. "É inegável reconhecer que Pernambuco experimentou um período de crescimento econômico e, portanto, o povo está mais exigente em novas conquistas. A última gestão foi um governo animado, que soube se articular dentro e fora do Estado. Foi uma gestão positiva. No entanto, Pernambuco ainda tem muito o que avançar, principalmente nos indicadores socioeconômicos", disse.

Ele também reconheceu a estratégia de Campos de levar a fábrica da Fiat para a região da Mata Norte, em vez de optar pela implantação no Complexo Industrial de Suape. "Foi o caminho acertado. Ele optou pela descentralização para fomentar outra região do Estado. Suape já está sobrecarregada e não teria condições de mais uma estrutura desse porte", disse.

O pré-candidato respondeu a perguntas feitas pelos jornalistas Daniel Carvalho, correspondente da Folha de S.Paulo no Recife, Antônio Martins Neto, da TV Jornal, e Gilvandro Filho, editor de política do Jornal do Commercio. Internautas também participaram enviando perguntas ao senador.

Esta foi a última sabatina com os pré-candidatos ao governo de Pernambuco. O pré-candidato Zé Gomes Neto (PSOL) participou do primeiro programa, e Paulo Câmara (PSB) foi o segundo entrevistado. Já houve sabatinas também com pré-candidatos aos governos do Rio Grande do Sul e de São Paulo.