Política

Aécio Neves diz em feira agrícola que governo comete crime contra o etanol

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Aécio Neves diz em feira agrícola que governo comete crime contra o etanol
fonte: Foto: arquivo
Aécio Neves diz em feira agrícola que governo comete crime contra o etanol

RIBEIRÃO PRETO, SP, 30 de abril (Folhapress) - O senador Aécio Neves (PSDB), pré-candidato à Presidência da República, disse hoje que a política econômica do governo federal tem sido um "crime" contra o etanol brasileiro.

O setor sucroalcooleiro diz passar pela maior crise da história devido à política adotada por Dilma. Nas últimas cinco safras, 44 usinas fecharam, 33 estão em recuperação judicial e ao menos dez não irão moer cana neste ano.

A afirmação foi feita na Agrishow, principal feira de tecnologia agrícola do país, que acontece em Ribeirão Preto (313 km de São Paulo) até sexta-feira. No local, Aécio afirmou que o evento é um "retrato do Brasil que dá certo."

"[É um setor do Brasil] Que empreende, que arrisca e sustenta outros setores extremamente deficientes da economia brasileira. Se o país ainda cresce, mesmo com indicadores extremamente baixos, é em razão do vigor do agronegócio", disse Aécio.

Enquanto visitava estandes da feira, o senador foi parado por um empresário, que o ofereceu um microfone. Aécio se apresentou como o "candidato do agronegócio".

"[Com projeto] De investimento em produtividade, de estabilidade e apoio ao setor do agronegócio, que talvez seja o único que tem ajudado efetivamente o Brasil a crescer", disse o tucano.

A presidente Dilma Rousseff confirmou na última sexta-feira que não poderia comparecer a Agrishow e foi duramente criticada na abertura do evento, anteontem.

Aécio afirmou que, se fosse presidente, não deixaria de comparecer à feira em nenhum ano. "Até para mostrar, como símbolo, a importância desse segmento para o Brasil", falou.

continua após publicidade