Política

União não vai insistir em data centers no Brasil, afirma Dilma

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia União não vai insistir em data centers no Brasil, afirma Dilma
União não vai insistir em data centers no Brasil, afirma Dilma

BRASÍLIA, DF, 24 de abril (Folhapress) - A presidente Dilma Rousseff afirmou hoje que o governo "não irá insistir em outra legislação para implantar data centers no país". Ela se referia ao mecanismo, retirado do Marco Civil da Internet, que previa o armazenamento de dados no país de gigantes como Google, Twitter e Facebook.

Foi justamente pelo Facebook que Dilma, por meio de sua página oficial, respondeu perguntas de internautas sobre a lei --uma espécie de "Constituição da internet"-- sancionada ontem por ela. Apesar da iniciativa, a presidente não aprofundou pontos sobre o marco questionados pelos internautas, deixando o debate superficial e perguntas sem respostas.

Pouco depois das 9h, a página do Palácio do Planalto postou uma foto de Dilma diante de um laptop, seguido das hashtags "DilmaResponde" e "FacetoFaceDilma".

Dilma afirmou que a questão dos data centers é um tema "superado", uma vez que a nova legislação prevê "a obrigação para os provedores de conexão e aplicação de cumprir a legislação brasileira, referente à coleta, guarda, armazenamento ou tratamento de dados". Esse, no entanto, era um ponto que o Palácio do Planalto insistia em ver aprovado no Congresso.

Dilma afirmou que a nova lei é um "avanço histórico" e "assegura a liberdade de expressão, a privacidade do indivíduo e o respeito aos direitos humanos". A presidente reforçou ainda que a "neutralidade [princípio que garante a isonomia aos internautas] torna inadmissível qualquer restrição da rede por motivos comerciais ou de qualquer outra natureza".

De acordo com o texto, teles não podem limitar a quantidade de dados acessados nem discriminar a velocidade de acordo com o conteúdo (vídeos, e-mails, chats). No entanto, as operadoras de telefonia afirmam que poderão vender serviços diferenciados, cobrando mais de clientes que acessam conteúdos específicos, caso queiram.

Banda larga

Dilma afirmou ainda que o governo trabalha em um programa nacional de banda larga, com o objetivo de "assegurar a um custo justo o aumento da capacidade da internet e a melhoria na sua qualidade".

"Gostaria de destacar que o regulamento de qualidade, copiado por vários outros países, estabelece que o provedor é obrigado a assegurar no mínimo 70% da média da capacidade contratada. A partir de novembro desse ano a média irá para 80%", completou.

Amor

Durante o bate-papo virtual, Dilma recebeu elogios pela sanção da lei, foi cobrada sobre outros temas e foi alvo de declaração de internautas.

"Amo vc Presidenta!", disse um internauta, que foi correspondido. "Amo você e todos da rede", respondeu Dilma. A presidente, no entanto, também foi cobrada sobre andamento de obras da Copa do Mundo no Brasil, que acontece a partir de junho. "Onde está o trem bala?", questionou outro internauta, que não obteve resposta.
 

continua após publicidade