Política

Obrigatoriedade do voto divide eleitorado

Da Redação ·
 Se o voto não fosse obrigatório no Brasil, 55% dos entrevistados dizem que votariam
fonte: Google Imagens
Se o voto não fosse obrigatório no Brasil, 55% dos entrevistados dizem que votariam

Pesquisa Datafolha divulgada neste sábado (29) no jornal Folha de S. Paulo mostra que a obrigatoriedade do voto divide os eleitores do país: 48% dos entrevistados se dizem favoráveis e 48% são contra. O levantamento foi feito entre os dias 20 e 21 de maio e a margem máxima é de 2 pontos percentuais, para mais ou para menos.

continua após publicidade

O apoio ao voto facultativo cresceu em comparação ao ano passado. A pesquisa de dezembro de 2009 registrou o recorde de 53% a favor da obrigatoriedade e 43% contra.

Se o voto não fosse obrigatório no Brasil, 55% dos entrevistados dizem que votariam e 44% escolheriam não votar. Os mais ricos (62% dos que ganham mais de dez salários mínimos e 66% entre cinco e dez salários) e os mais escolarizados (65%) são aqueles que mais iriam às urnas se o voto não fosse obrigatório.

continua após publicidade

Já os mais pobres (52%) e os menos escolarizados (52%) são os que menos iriam as urnas se a participação nas eleições não fosse obrigatória.

O levantamento do Datafolha ainda revela que, os mais ricos (59%) e os mais escolarizados (59%) são aqueles que são mais favoráveis ao voto facultativo. Por outro lado, os mais pobres (52%) e os menos escolarizados (52%) são os mais favoráveis à obrigatoriedade do voto.

Pela Constituição, o voto é obrigatório para os brasileiros alfabetizados entre 18 e 70 anos de idade. Para os analfabetos, os maiores de 70 e os que têm entre 16 e 18 anos, votar é facultativo.

A pesquisa, registrado no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) com o número 12044/2010, ouviu 2660 pessoas em 162 cidades.