Política

Campos dirá na TV que Dilma reduziu Petrobras à metade

Da Redação ·
Campos dirá na TV que Dilma reduziu Petrobras à metade (Arquivo)
Campos dirá na TV que Dilma reduziu Petrobras à metade (Arquivo)

BRASÍLIA, DF, 26 de março (Folhapress) - O governador de Pernambuco, Eduardo Campos, aproveitará o programa político-partidário do PSB para criticar a condução da política econômica do governo Dilma Rousseff.

Em um vídeo de 10 minutos, que será exibido em cadeia nacional no rádio e na televisão amanhã, o pré-candidato à Presidência aparecerá ao lado de Marina Silva, cotada para ser vice na chapa. Em um diálogo mais intimista, Campos afirma que Petrobras perdeu metade do seu valor de mercado.

"Eu que vi em 2010 a presidente Dilma dizer que ia defender a Petrobras, que seu adversário ia privatizar a Petrobras, e ver três anos depois ver a Petrobras valer metade do que valia. Ou seja, tem meia Petrobras, e dever quatro vezes mais do que devia", afirma Campos.

A fala de Campos se dá logo após uma discussão sobre a necessidade de se investir em meios de produção de energia renovável. "Não adianta a gente ficar importando óleo diesel, pagando em dólar para moer nas termoelétricas. Isso é um contrassenso. Não cabe na cabeça de ninguém", afirma Campos. "O Brasil tem muito sol, tem muito vento", diz e é complementado por Marina: "uma das maiores áreas de insolação do planeta".

Campos diz ainda que Dilma teve a oportunidade de assumir à Presidência, mas não fez o que deveria ter sido feito. Ele a compara ao ex-presidente Lula, mas ressalta pontos negativos.

"A economia no Brasil vem melhorando desde o presidente Itamar Franco e o próprio governo do presidente Fernando Henrique. É inegável que houve avanço. Lula cuidou de preservar esses avanços e de fazer a economia brasileira ficar mais forte. Mas de 2011 para cá, todos nós sabemos, que começamos a ver as coisas não darem certo como se imaginava que poderiam dar", afirma Campos.

Alfinetando um dos principais defeitos de Dilma, segundo a ala política, Campos afirma que procurou alertar o governo sobre os problemas econômicos mas a presidente não o ouviu. "Nós chamamos a atenção para isso desde o primeiro momento, mas o governo não quis ouvir. Essa coisa de governo que não ouve é muito complicado. Governo que não ouve dá as costas para o povo", diz.

O programa foi gravado em São Paulo há duas semanas. Ele será exibido amanhã em cadeia nacional de rádio e TV a partir das 20h30. Em tom sépia, uma tonalidade usada para deixar o vídeo com um ar mais antigo, Campos e Marina conversam e se apresentam como uma alternativa para o brasileiro.
 

continua após publicidade