Política

Dilma Rousseff reforça discurso feminista

Da Redação ·
 Dilma participa de participa da abertura do Congresso do movimento 'Ação da Mulher Trabalhista'
fonte: Roberto Stuckert Filho/Divulgação
Dilma participa de participa da abertura do Congresso do movimento 'Ação da Mulher Trabalhista'

Em discurso para cerca de 600 representantes da Ação da Mulher Trabalhista (AMT), movimento ligado ao PDT, a pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, fez críticas à gestão tucana e disse nesta sexta-feira, 28, que o governo Lula livrou o país de um modelo de estagnação econômica e desemprego.
Dilma, que militou a maior parte de sua trajetória política na legenda trabalhista, reencontrou antigas companheiras durante o 5º congresso nacional da AMT, que está sendo realizado em Belo Horizonte. Em clima de campanha, a pré-candidata petista lembrou que foi uma das fundadoras do movimento na década de 1980 e disse que essa será a campanha que levará pela primeira vez uma mulher à Presidência da República.

continua após publicidade

"Nós sabemos que temos que temos um caminho longo pela frente. Sabemos que nessa luta vai aparecer muita gente falando, criticando e, sobretudo, tentando que a roda da vida volte para trás", afirmou, sem citar nomes. "Nos livramos do modelo que era de estagnação, de desemprego, de desigualdade. Abrimos um caminho com o presidente Lula para um novo momento do país, que é o momento de uma nova era de prosperidade."

Dilma fez um discurso apropriado para o evento, ressaltando o papel das mulheres nos avanços sociais do país e se comprometendo com causas femininas. "Somos capazes sim de dirigir o Brasil porque temos várias qualidades. As mulheres são pragmáticas e práticas, as mulheres são sensatas", disse. "A mulher cuida e um país como o nosso precisa disso, precisa de cuidado."

continua após publicidade

A ex-ministra da Casa Civil afirmou também que as mulheres tiveram um importante papel na gestão Lula, destacando que ocupou "o cargo de maior relevância no governo."

Mineira, gaúcha e guerrilheira

Dilma chegou ao evento por volta das 20h e foi recebida aos gritos de "Brasil para frente, Dilma presidente." Durante uma hora e quinze minutos, representantes de vários movimentos femininos se revezaram no microfone. A petista foi chamada de "nossa menina de BH" pela vereadora da capital mineira Neuza Santos (PT) e de "gaúcha" pela prefeita de Santa Margarida do Sul, Cláudia Goulart. "Dilma, tu é gaúcha", disse a prefeita. "Quanto te faltar peito (para enfrentar a campanha), se apoia nessas mulheres."

continua após publicidade

A mexicana Maria Zapata, presidente do Fórum Internacional pelos Direitos da Mulher, lembrou o passado da petista de militante de movimentos armados de combate ao regime militar. "Também fui guerrilheira, com muito orgulho", disse, se dirigindo à pré-candidata.

"Estou aqui para pedir votos para eleger uma mulher brava e guerreira", completou Laize Molier, da Secretaria Nacional das Mulheres do PT.