Política

Base de Dilma critica mudança de FHC sobre CPI

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Base de Dilma critica mudança de FHC sobre CPI
Base de Dilma critica mudança de FHC sobre CPI

Vice-presidente do PT, o deputado federal André Vargas (PR), diz que FHC, que sempre teve uma "postura mais equilibrada", agora faz "política": "A oposição está radicalizando o discurso porque não consegue emplacar seus candidatos"; já o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), afirma que a oposição quer "politizar" e "partidarizar" a Petrobras, já que estatal já é investigada por outros órgãos: "Que tipo de investigação querem fazer sobre a presidenta Dilma? Já querer confundir alhos com bugalhos, a população brasileira não vai aceitar isso"

continua após publicidade

247 – A base aliada da presidente Dilma Rousseff reagiu à mudança de posição do ex-presidente FHC sobre a instauração de uma CPI para investigar a Petrobras. Depois de dizer que uma CPI em ano eleitoral não seria boa ideia, ex-presidente segue a linha do candidato Aécio Neves (PSDB-MG) e passa a defender uma investigação: "Os acontecimentos revelados pela imprensa sobre malfeitos na Petrobras são de tal gravidade que a própria titular da Presidência, arriscando-se a ser tomada como má gestora, preferiu abrir o jogo", afirmou.

O vice-presidente do PT, o deputado federal André Vargas (PR), diz que FHC, que sempre teve uma "postura mais equilibrada", agora faz "política". "Tudo aquilo que ele não quis fazer, pressionado pelo Aécio Neves agora, está fazendo. A oposição está radicalizando o discurso porque não consegue emplacar seus candidatos", completou.

continua após publicidade

Já o líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), afirma que a oposição quer "politizar" e "partidarizar" a Petrobras. Ele disse que o Tribunal de Contas da União (TCU), a Controladoria-Geral da União (CGU), o Ministério Público Federal (MPF) e a Polícia Federal (PF) já investigam o caso. "Que tipo de investigação querem fazer sobre a presidenta Dilma? Já querer confundir alhos com bugalhos, a população brasileira não vai aceitar isso", criticou.